Vivências

DOMINGO DIA 29 DEZEMBRO DE 2013.
Recado para aquela moça que não pára de saborear seus 15 minutos de glória. Abaixa o facho e venha salvar o Brasil.  O urso polar é feito de material descartável? Não, ne?  Por favor  nos poupe.
------------------------------------------------------------------------------          
Enquanto o Edinho do Samba não explodir nas bancas, aproveite  e vá assistir no quiosque da Nextel em Copacabana, em frente à  Rua Paula Freitas, de graça.  Daqui a um ano você vai estar pagando uma nota para ve-lo de longe depois de entrar numa fila enorme.  Como sei o futuro dele?  Tente entrar num show da Maria Bethania agora.  Eu conseguia há 40 anos, agora nem pensar.
Outra noticia:  fui me pentear e descobri que dos  978 fios de cabelo, que eu tinha, só sobraram  522 fios de cabelo. Gostei da ideia do Renan Calheiros.  Vou pegar um jatinho da Fab até Brasilia e de lá até RECIFILIS.
Vocês não vao se incomodar de me dar 150 mil reais, não é? Acho até que mereço uma estadia no Ritz em Paris, mas isso é outro problema.  Antes tenho que ter cabelos e um Cartao de Credito do Planalto.
----------------------------------------------------------------------------------------
Ao chefe de Polícia, porque o telefonema anônimo não funciona:  ontem depois de ouvir essa maravilha do Edinho do Samba, uma senhora idosa e eu resolvemos que deveríamos passear um pouco por Copacabana. Nem pensar disse eu.  Morei aqui no Leme há muitos anos, no início da  minha chegada ao Rio.  Ia do Acapulco,  uma das sedes da Inteligênzia carioca, até em casa, sozinha de madrugada, sem ser perturbada por ninguém , nem um fiu fiu.  A outra senhora e eu estávamos de bolsa, e eu com a cara de gringa americana, prontas para sermos assaltadas.
Cena:  carro da policia, vários guardas- garotos batendo papo.
Dez metros depois entre nos e os guardas,  dois pivetes. Batemos o olho.  Ela num e começou a acenar como se conhecêssemos alguém adiante e eu enfiei o meu olho dentro do dele de cima do meu walala   lancei um profundo raio paralisante a um dos pivetes e eu disse :  ainda bem que sou brasileira e não americana.  
Pego desapercebido um pivete como todos os outros que tentaram me assaltar, ficou emburrecido e parado.  Moral: acho que devia haver nas entradas para esse Estado um grande cartaz “PINTE SEU CABELO DE PRETO” .  Me ocorre agora que pode ser roxo também, vai funcionar, vai ser uma hippie fora de tempo e pobre.
Pergunto eu:  será que os guardas ainda não sabem reconhecer pivetes?   Será que pensam que sua presença física já basta para coibir um assalto ou quiça uma morte?
  Será que os malandros tem habeas corpus para atacar louras?
Saí atordoada de lá.  Deixei de entrar num Centro de Macumba na praia de Copacabana, eu não teria esse medo se estivesse num país chamado Bangladesh.  Enfim chefe de Polícia:  vc que tem o olho azulllll devastador comece a mandar raios também, não só sobre nós pagantes mas sobre os pivetes.  Nada contra eles, apenas tudo sobre nosso direito de ir e vir que o senhor deveria cuidar.
Quanto a nossa falta de Direitos.
-  Para Eduardo Paes:  Minha ida à Copacabana foi frutifera mesmo!  Descobri que há sanitários, mas não há uma placa dizendo que idosos não pagam. Descobri por acaso.  Para quem tem sua aposentadoria diminuída a cada mês, dois paus é muito dinheiro, me poupe.  Eduardo querido, para onde vai o dinheiro dos velhos cuitados pois a bexiga fica menor a cada ano, você sabia? É um caixa dois, três, quatro, quatrocentos?  Que bom que eu tinha assistido o show do Edinho do Samba e sua voz maravilhosa, senão teria baixado em mim o Thor, lançando chamas de fogo de meus olhos verdosos que é assim que a Polícia os chama. (não são nem azuis nem verdes).
Me deu vontade de fazer um discurso que faria juntar no mínimo cem  pessoas, alias faria isto muito bem por ter sido militante do Partido Comunista do Brasil , no outro século, outra ditadura. A Dilma sabe.    Lembra do AGIT PROP ?  Agitaçao e Propaganda.  Pois é Dilma, me disseram que vais proibir a gente de falar essas coisas.  Chato!!  Como vou deixar vocês e lavar roupa no tanque, minha diversão dominical, acho que a salvadora do Alaska  deveria ganhar um tanque para lavar roupa de uma pequena cidade ajudaria mais o ambiente.  Aliás convido-a a limpar o meu quintal onde surgiu um enorme e assustador pé de PAU BRASIL, bom ne?  Acho isto um fenomeno ambiental.  Por favor alguém me mande um cocar para que ele se sinta a vontade quando eu o visitar.
----13:00hs,  acabei de lavar a minha roupa umas blusas que não sabia mais da sua existência, estavam em malas de viagem.  aí agora, me lembrei que posso dar um emprego fixo para a ambientalista, bióloga.  Sem direito a aparecer no Jornal.  Preciso de alguém que cuide do seguinte:
 1) 1 -  Má, gato macho , castrado, 7 anos, fugitivo de sua casa o que alias entendo bem. Não sabe dizer miau, o nome dele é Jupiter mas atende por Má , chamando a mim para banhos noturnos colocando a patinha no meu braço e eu o sigo como uma banana até onde ele me leva: água, comida, inspeção geral da casa em plena madrugada.    É um gentleman.  Detesta passarinhos e os miquinhos que vem buscar comida em minha casa.  Tudo fruto do desmatamento , bióloga, claro, não conseguem pegar nada.  A banana que  agora tenho que comprar, pois um paraibano que me disse que não sabia cuidar de bananal.  Que pena para ele.  Então tenho que deixar milhares de pedaços de pao e banana  para os passarinhos e os micos no muro.  O gato só fica me dizendo, má, má, má e me puxa para ver.  Ele é um excelente cao de guarda, ninguém pega nada, leis da natureza.
2) há 3 meses ganhamos uma gata de verdade de rua, seu nome é Lua, passou para Luiza, mas atende mesmo é pelo nomezinho tranquilo de TSU, tsuname é uma figuraça  come de aipim à laranja.  Estraga  tudo o que planto no meu jardinzinho. 
Cara bióloga, o teu trabalho com gatos, cachorros, é impedir a destruição geral.   
Quando notam que eu gosto de uma planta, eles atacam, querem terra.
Voce  terá um certo trabalho  com um jasmineiro herança de minha falecida mae, ele só sobrou em minha casa no Rio de Janeiro a duras penas.  Toma-me bastante tempo mas agora mas agora ele se deu conta depois de muitos anos que chegou a primavera. Fiquei muito feliz, pois é como se minha mae estivesse no meu jardim e não só no meu coração.  Faz muito bem, tem um pinheiro de uns 20 cm, papai, que tenho que manter escondidos dos gatos.
A tsunami brigou mesmo com a pimenteira, o que o Má já fizera quando tinha 1 ano.  A pimenteira incomoda mesmo, eu sei que tenho uns 20 pés de pimenteira.  Não sou besta.  Alias tudo o que eu como e tem caroço menos abacate e manga, eu planto, acho saudável comer sementes de laranja de ameixa, tangerina, abóbora e agora na época de Natal, cereja, pois tenho a fantasia   de que um dia numa das quatro barrigas que consegui ter haverá uma primavera japonesa, varias cores, cor  de rosa dentro de mim, coisa de infância.   .
Não se podia subir na cerejeira, pois essa planta costumava ser habitada as por “cobra”, diziam os adultos como eu ainda não havia lido o Pequeno Principe, não  pensava no suicídio   e me aboletava  com meu irmão e meus primos numa cerejeira enorme.  Comíamos à vera e nunca vimos uma cobra .  eu tento plantar todos os anos muitas sementes, mas o calor é contra elas.  Mas eu continuo tentando, pois pode haver uma mutação genética e começar a haver a CEREJA TROPICAL.   Já pensaram como seria bom?  Um cerejao estilo Garota de Ipanema sem implantes mamários e bundais, as gostosas por natureza.   Ficariam com certeza bonitas e boas.  Tenho que pensar no tamanho do caroço pois entrar é fácil e sair é que é o problema como dizia Stanislaw Ponte Preta:  Passarinho que come pedra sabe o cu que tem.       



 tirar a arvore de passarinho que está se aninhando no meu pé de acerola e tentando mata-la.  Sou contra a pena de morte em arvores. 
2) conversar seriamente com a mangueira,  sério, pois ela há alguns anos traz                                 produziu uma manga.  No ano passado, quando a ameacei de morte, ela quase me  matou.  Rolei escada a baixo e rasguei metade da pele da perna.  Ainda me doi apesar dos cuidados médicos maravilhosos que ainda toca nos pacientes. Dr. Guilherme da Clínica S. Lucas.
Tirar a mangueira da depressão menopáusica e que sempre esteve e dizer à ela jeitosamente que  aos 50 anos as mulheres ainda estão com validade. Só yogurte não.
3)  Tem que olhar e pedir com carinho para que os pés de mamão, para que  em busca da luz não cresçam tanto.  Eu tive que comprar uma escada fantástica  para  apanha-los, pelo menos não tem agrotóxico.
4) tem que falar também com os pés de abacate que eu também gostaria de entrar na festa da comilança por enquanto eles produzem comida para meus cachorros:  Rosa Luxemburgo , que só me deixa o caroço e Che Guevara que só olha para eles com desdém .  Não entendo, porque um ser tao politizado quanto ele não gosta de abacate.  Deve ser por causa do caroço, é muito grande e ele deve achar que é um desperdício Capitalista, enfim, se quero comer abacate, tem que comprar no mercado.  Não é justo.

5) vou te ensinar a diferença das folhas dos pés de abobora daquelas dos pés de melancia.  Deves saber que são primas, não é bióloga?
6)   Avisar o jambeiro que eu estou de olho nele.  Ele dá fruta cor de rosa, e não de jambo o que me irrita. E Além disso sua  polpa branca não tem gosto de nada, nada, nem doce nem amargo, NADA,  só ocupa lugar e aqui nesta casa, onde eu “mando”, ou se produz fruta comestível ou flores pelo seu visual e seu perfume e pelo seu poder de polinizar .Nada deve ser por nada.  Esse jambeiro está me estressando, pois sua produção é fantástica e suja uma escadaria de 160 degraus todos os dias.
Pior que isto só lavagem do Bonfim mas la dá frutos, aqui adubo. Tudo bem, para o Planeta, para mim preocupação em não escorregar.
7) conversar sério com a Rosa Luxemburgo que não mate comendo cada chuchu que eu planto.  Ela embirrou com isso.  Mas enquanto o chuchu cresce perto de minha cozinha ela não tomou conhecimento de todos os pés de maracujá que nasceram. O que é um alivio.  Mao Tse Tung diria:  se você não pode vencer um inimigo, uma-se a ele. Acho que ela entendeu a mensagem.
OH ! garota biologa, ou ambientalista que seja,  tu já imaginaste daqui a alguns anos quando tu menstruaste a primeira vez, ninguém vai se preocupar com o Petroleo?    Todos vao querer COMIDA.  E esta não vai dar para todos.  Tu já imaginaste um dia os indianos e os asiáticos todos se juntarem e decretam o DIA DO OVO?  Um dia em que  4 , 5 bilhoes de pessoas  resolverem comer UM OVO.  É pior que a bomba atómica, não achas?   Outro dia mais tarde quando começares a pensar, verás que a Russia, de quem falaste mal, a China, o Laos, o Butao, o Japao, a America do Norte, o Chile e o resto                     são todos feito da mesma merda.  Terás que saber então que  NÓS,  eu e nosso vizinho é  que vamos ter que mudar para melhor, deixar o exibicionismo de lado, estudar, trabalhar, plantar ideias,  comidas.  Eu até que te entendo, és adolescente (um pouco tardia, ne?).  Eu até que já fui.  Não estou falando só para ti adolescente.  Vamos aproveitar melhor nossa vida.
Sabe o que uma senhora da ala das baianas da Mangueira falou quando eu tinha 30 anos e lhe disse que queria muito desfilar com ela, ela muito simples me olhou e disse: “cresça, engorde, envelheça, fique preta e apareça”.   Agora mocinha, saia desta cadeira que é de uma das baianas da Mangueira.  Genial, não?  Curto, seco e simples , para qualquer metido como eu poder ouvir, e eu ouvi e amei mais ainda a Ala Das Baianas da nossa querida Mangueira.

8) não posso deixar de fora o cuidado com as pequenas plantas novas .  de 30 cm  a  1 metro laranja, limao, lichia, ameixa, vários pequenos escondidos no meio do matagal para que  a Rosa Luxemburgo não os veja crescer.

9) Goiabeira tem que parar de dar frutos somente para o vizinho ,  falar com carinho  para não machucar o vizinho e a planta. como vês tens trabalho para muitas horas num dia.   Só para as frutas num terreno de mil metros.  Vais poder aprender muito.
Para não ser chata e falar de comida, agora vamos a parte das flores, dos pássaros dos miquinhos e principalmente dos gatos.  Eu não sabia que os gatos podem ser ferrenhos perseguidores de plantas e flores que a gente ame,  ciúme puro, vou descrever os gatos e sua atitude com tudo.
DOMINGO 29/12/2013. 
O 13  - Zagalo que me perdoe.  O ano 13 foi bom para ele, eu sei, ele merece.  Mas para o resto do Brasil chegamos ao fundo do poço apesar da extrema argúcia do Joaquim.  Alias psicanaliticamente entendendo isto é muito bom pois pior que o 13 o 14 não pode ser.   Não é otimismo não.  É ciência pura.  Prometo a mim mesma parar de pensar NO PIBINHO como se fosse o peruzinho de um menino recém nascido.    Alias , ca para nós, PIBINHO, não é a cara do Mantegua?  Eu sempre acho  ele também está plantando cabelos, não é?  Industria boa.
----  (Brasiliam hair plantion).  Os geógrafos vao gostar do nome.  Eles sabem o que significa uma PLATATION.  Eu não vou mais falar de politica hoje.  Estou brigada com o camarada Lenin, mas a bandeira do Brasil que botei na janela para o Joaquim ainda está desfraldada.  FELIZ  ANO NOVO.!  Que canseira heim????   Beijos.







CONTO   PARA  CRIANÇAS

Era uma vez um reino enorme de grande chamado Cracolandia.  Diziam que o nome tinha sido dado por um grande jogador de futebol, chamado Vasco da Gama, que tinha descoberto este reino.  Ele chegou a um lugar em sua nau e viu os habitantes jogando futebol.  Este jogo tinha sido importado de outro reino chamado Grand Terra.
Lá num grande circulo de cimento se jogava aos grandterrenses (era o nome que se dava aos súditos de lá).
Junto com os jogos eram distribuídos pães e brioches. 
Sim, querido netinho,você não sabe o que é brioche!! Mas uma tal de Maria Antonieta, de um outro grande reino, gostava tanto deles (brioches)  que acabou perdendo a cabeça por isto. Comeu tantos que vomitou e caiu de cara em baixo de um facão que a matou. 
Voltando ao Vasco Da Gama, ele deu o nome de Cracolandia à sua descoberta, pois havia muitas pessoas nuas numa praia jogando futebol que devia ser jogado com os pés mas ele notou que alguns pegavam a bola com o peito e depois jogavam para o pé.
 Espantado ele gritou: “- mas isto é que é ser craque”  daí apelidou a terra descoberta de Cracolandia.
E até hoje ela tem este nome em homenagem ao grande navegador e alguns de seus mais importantes habitantes.  Depois, coitado, fundaram um time de futebol e botaram o nome dele.  Ele não se incomodou porque já tinha morrido.  Não podia fazer mais nada.
Nem o Cabral que o sucedeu, que só fez besteiras e coisas más.  Agente tem que se cuidar com ele, porque ele paira, não morreu.  Descobre tudo de ruim e que se pode fazer apenas com três Caravelas. 
Bem queridos netinhos, isto é só para localizar vocês no mapa.
A Cracolandia era muito grande e por isso era ingovernável.  Pergunte a mamãe se você é ingovernável.  Logo, logo você vai saber o significado da palavra.  Bem,  assim, dividiram a Cracolandia em vários grandes reinos.  Um deles foi chamado de Laranjal.  É sobre ele que vou contar a estória.
Os laranjenses (o povo) tinham todos o mesmo nome -  DASSILVA.
Os amigos do rei se chamavam Laranja.  Hávia uma enorme “família” de Laranjas .
Os Dassilva eram milhões, todos nasciam e viviam muito pobres, trabalhando para os Laranjas.
Não tinham comida suficiente, não tinham escola, hospitais, Universidades, enfim nada que todos os Laranjas tinham.
O pouco dinheiro que eles ganhavam ia direto para os Laranjas ou para os cofres da Cracolandia.  E lá alguns “cracolinos”  mandavam o dinheiro para suas contas em reinos distantes , em ilhas dentro de baús, coisas assim.
Os Laranjas também escondiam seus dinheiros lá.
Os dinheiros dos DASSILVA que cada dia tinham que trabalhar mais por causa de um estranho mecanismo que fazia com que eles tivessem que dar cada vez mais aos seus mandatários que prometiam trazer os dinheiros de volta, mas nunca o fizeram.
É uma estória triste não é meu netinho??
Mas continue lendo pois um dia veio uma FADA AZUL e descobriu esta maldade e tentou ajudar os laranjenses.  E numa noite, escondida jogou em todos eles Pó de PIRIMPLIMPLIM  que acordaram com musica, flores lindas, carruagens com mulheres e homens lindos carregados por cavalos brancos, todos quase nus.  E foi uma festa enorme que durou três dias e três noites. 
Na quarta noite a Bruxa Má acordou por acaso, pois vivia sempre tão atarefada e cansada pelos constantes pedidos dos Laranjas que acabou dormindo, sem querer.
Ela nem sabia que estava sendo enganada por eles, seus amados com uma substancia toxica que  era importada  (por eles) de um reino vizinho.  Ela vivia acordada e trabalhando, isto é, fazendo toda as maldades que eles pediam. 
E tao logo que acordou, a Bruxa Má acabou com a festa, matou a Fada Azul e tentou ir dormir.  Neste momento chegou um Laranja com um estranho pozinho branco e brilhante de sua propriedade, oferecendo a ela para que não dormisse.
Ela ficou furiosa com o Laranja e decretou que O GRANDE LARANJA NÃO IRIA MAIS ACORDAR  E NEM DORMIR.  Pior seria IMORTAL.
Ainda mais, disse que os membros da Grande Família             Laranja sofreriam consequências terríveis por terem tentado tapeá-la. 
Ela queria o negocio do pozinho branco que era dos Laranjas.   Estes agora estão com medo , não da bruxa, mas dos esconderijos dos seus dinheiros que deixaram de ser seguro.  E o rei dos Laranjas, não dorme nem acorda, mas pensa o tempo todo, o que ela achou que é o pior dos castigos, porque PENSAR DÓI.
- Moral,  Não Há Moral. 
Se você nasceu Dassilva,  como eu, tem que agradecer de ainda não ter que pagar o ar que ainda respira.
FIM     








A MORTE DO  JEGUE
Voce já viu um jegue?  Não!  Que pena.  Era o Fusca do nordestino.  Está à beira do fim de sua raça.  Uma pena  -  como tantas outras coisas maravilhosas deste país.  Lá vai ele para seu desaparecimento, passo a passo, não tao devagar quanto ele anda. 
Era uma forte atração turística e como a lhama no Peru está desaparecendo.  Foi trocado coitado, por motos.  As motos???  Como surgiram?  O Bolsa Família do Nordeste.  A gente sabe como é feita a distribuição destas Bolsas..  enfim, quem diria o Lula está matando seus maravilhosos companheiros, de fome.
 A gasolina é mais barata que o feno.  Triste não?  Bichinho lindo que só e com uma pele maravilhosa.  (depois de escrever isto, vi numa rede  da TV, os jegues sendo mortos por caminhões nas estradas).  Mas em um Município, eles estão sendo alimentados.  Mas perderam a sua servidão.  Como os aposentados estão esperando a morte. 

Lula foi é mesmo o Atila, onde você põe a mão, não nasce mais nem grama.  SARAVÁ e está maquinando para voltar. 


MEU GAROTO

Meu garoto se chama Neymar.  Seu Gol, o 2 vi hoje de madrugada quando fui acordada pelo  eu gato MÁ  que queria ( MAIS OU MENOS 3 HS ), FAZER SUA INSPEÇAO GERAL NA CASA.
Olhei o jogo.  Primeiro tempo rápido, o tempo o menino Neymar faz o 2 Gol.
 Finalmente saiu um  problema que eu tinha no gogo desde os anos 80.  O problema se chamava Paulo Rossi.  Um jogador italiano.  Não me lembro se era final ou semifinal da Copa  o   Paulo Rossi acabou conosco.  Estava vendo o jogo com meia dúzia de amigos em minha casa e de repente gol do Paulo Rossi.  Brasil  -  fim.

O grupo todo ficou primeiro atônito, depois  aprofundou seu mal estar ficando todos catatonicos e finalmente nos internamos na Pensao Margaridas por depressão aguda.  Sendo eu uma das dona da Pensao podia levar quem quisesse além de mim.  Lá havia alegria.  Normais, os tais loucos, vieram nos ajudar.  Ficamos horas internados e sendo cuidados bravamente pelos psicóticos.  Só um psicótico para ser solidário a este ponto.  Enfim Neymar meu novo ídolo me livrou de uma dor antiga.
Além de bonito  o garoto é bom.
1-    Didi  -  o “folha seca”.  Vocês não conheceram  sorry.
2-    Garrincha  -  talvez alguém conheça por ter visto um filme.
3-    Zico  -  a única pessoa que eu conheci, que não precisava de terapia.  É a saúde mental  personificada.
4-    Ronaldo Fenômeno, se ele contar o que fizeram, (e ele também deixou) com ele na Copa da França.  Não devia falar.  Anda dizendo bobagens.  Cara, o teu negocio é fazer Gols.  NÃO PENSA QUE SAI BOBAGEM.
5-    O Garoto Neymar.
Todos me deram alegrias imensas, algumas além da alegria resolveu meu problema  -  Paulo Rossi.
Scolari parabéns, ensinaste o VIRUNDU (hino)  AOS JOGADORES.  QUE BONITO.  DEVE SER POR CAUSA DO TEU NOME.
Todos cantaram o VIRUMDU , e o  povo  CANTOU à Capela, o resto.

  Cuidado Dilma,  isto é grave.  Os cadernos  não temos mais como no nosso tempo todos os hinos na 3 capa.    Te cuida  Marselhesa derrubou gente melhor. 
  
Rio, 26/6/2013



MENGOOOOO



Mengo, Mengo, Mengo. 26/05/2013.
Eu, que faço parte da maior torcida do mundo, que só perde para ARENA e o Partido Comunista Chines, estou muito feliz com o empate do maior clube do mundo, rs rs  rs  rs ,  venho hoje a publico para perguntar ao editor da Globo   -   vocês torcem pela vida dos ocidentais e a morte dos orientais, ou como jornalistas são neutros?

Neutralidade é importante, gente.  Por exemplo  -  um morto na rua de Londres é um “horror”,  dez crianças mortas a cada semana em Cabul é a demonstração de que o drone é o ultimo brinquedinho do TERROR Americano  sob a Égide da ONU, que diz que busca a PAZ , eu heim rosa?   Me aguardem, que farei um pequeno estudo psicanalítico sobre a América, não a latrina   -   o por do sol de Brasília é algo além de qualquer imaginação.  Obrigada, boa noite aos meus amigos.  Me aguardem. 




DOMINGO  FESTIVO  14/04/2013.
O gênio das financias Edir Macedo, antes do Papa chegar e pegar  2 milhoes de jovens, instituiu um grande FESTIVAL UNIVERSAL.
Gentes, acordei as  7 hs com o inicio da Festança.  Pessoas chorando todo o tempo, rezando, milagres e farta distribuição de dinheiro por parte de Deus.    Será que Jesus fez aliança com Amador Aguiar  (dono do Bradesco),  onde os fies pagam o dizimo?  “choro” do profeta e da plateia composta de pessoas das classes A,B,C, D e F. Esta classificação está explicada no final do texto.
São quase todas as pessoas que o Banco do Amador aceita numa boa.
Jesus, coitado, se deu mal em ser ajudado na sua instituição que ele nem sabia que existia mas Judas sabia.  Mesmo assim Jesus, Judas te vendeu muito barato, agora que vejo.  Te ajudou a formar a primeira Multinacional mas tu foste enforcado.  Agora todo mundo te usa e não paga royalties.
Os “milagres” são todos curáveis em qualquer consultório ou num fisioterapeuta.
Peguei no sono igual as ovelhas que estava catatônicas (paradas) diante de tanto sentimento.  Elas e eu.   Dormi horas e horas e acordei as  14 horas.
 Lantiere meu querido amigo , a guerra não vai ser de bombas vai ser guerra Santa , o aparato do Edir é fantástico, mostra todas as coisas lindas do Rio de Janeiro e Niterói, sem agradecimentos dos prefeitos, a não ser que agente não saiba que  talvez eles também estejam contribuindo para o grande Banco Universal. 
Vi um “Profeta”  (pastor) passando “óleo Santo de Israel”  nos pés de cada fiel.  Filas homéricas.
E eu não aguentava ver o pobre do profeta sentado, se mexendo da esquerda para a direita para passar o óleo de soja das plantações do Edir, nos pés dos fiéis.
Será que o Edir está com acordo com o nazista do Netanyahu?  Estou com medo.
E não sei como estão as costas do pobre profeta (de tanto lavar os pés dos fiéis).
 Mas querido Francisco , é ÓLEO, hein!!!!   Não é agua como tu fazes da 5.feira Santa com UM fiel.  Cuidado,   esses caras põe o óleo em todos.  Sacou a diferença entre o concreto e o abstrato? 
Aqui, País povoado por Portugueses, tem que ser no CONCRETO (tem que lavar todos os pés).
Nós somos assim.  Me chamou a atenção,  de todos estarem tristes e chorando.  Do ponto de vista psicanalítico,  isto é muito saudável, pois ninguem que está lá tem motivo para rir. 
Já são 15:30 e vai haver mais tarde um ceia -  pão e vinho.  Quanto custará? 
Jesus, como ves, te imitam em tudo.  E todo mundo te puxa o saco.  Gostaria de saber de como te sentes com tanta gente querendo coisas, como hoje que era o dia do problema financeiro.
Eu devia ter ido lá em vez de dormir.  Agora o profeta está pedindo silencio para espantar o maligno ( quem será este?) , a orquestra parou.  Muito triste, porque todos também choram, a orquestra é muito boa.  Os caras gastam dinheiro para o evento.  Como as ovelhas do fundo ainda não se moveram desde as 7 horas me deu um insight, afinal aquilo é um mural.  As ovelhas não são de verdade, não é um pasto, é um PALCO.
Queda de histéricas ao chão, a maioria é mulher.  Sai Satanás, em nome do Senhor.  Bonito, mas histeria é uma doença meu senhor, tem que respeitar.
Eles, como eu não se metem a curar TOC (transtorno obsessivo compulsivo), só sintomas histéricos e câncer.  Câncer é brabo!!    Histeria até eu ou qualquer pai e Mae de Santo , curam.  Mas em grupo assim, não podemos.
 Edir , você trabalhou e estudou com Amador Aguiar e Freud?   O profeta agora está livrando uma senhorinha de câncer.  Tomara que consiga.  Sério.  “você tem câncer no corpo todo”, ela de cara feia “não tenho no corpo todo não, só nas pernas, e vim de cadeira de rodas”.    E saiu caminhando ufa!!!  Que bom, era só histeria, caros colegas do INCA (Instituto do Cancer) . 
 Casos lindos, de cura mas as pessoas contam a cura chorando, eu daria uma gargalhada.  Eu estava com dois caroços na garganta (diz uma mulher), e o senhor me curou.  Pergunto eu:  não era amigdalas?  E ela agora, ficou sem.  Meu Deussss,  ficarei sem pacientes logo, logo, se bem que não trato de histéricos, mando para a macumba direto.
Outra senhora sonhou com o profeta e curou tantas doenças na cama em Goias que desisti de assistir.
To começando a achar que nada é sério.   Mas ajuda o SUS e a grande população brasileira sem assistência decente.
Parabéns Edir, das mentiras não é das piores.   Sugiro que no próximo Festival você comece a politizar esse povão, dizendo que o Brasil está afundando violentamente, e isso aparece numa coisa chamada pelo Guido Mantega de Pibinho. Eu nunca vi um INHO, o que será?  
Vamos as classificações que citei acima:
 Classe  A -  avoada
Classe B – Burra
Classe C – Carente
Classe D – Dura
Classe E – Endividada
Classe F – Faminta, ( não frequenta o Edir).

PS:  apareceu um senhor com alzeimer, mandaram embora rápido.
Me lembrou da piado do Jesus: 
“chega um cego e Pedro diz:  faz com que ele veja.  Jesus o curou.
Chegou um paralitico, Jesus o curou.
Chegou um cara cheio de feridas horríveis, Jesus diz “dá uma volta na Sinagoga e nos encontra aqui”, Pedro se assusta.   Por que  você não o curou?  Jesus disse:  cala boca Pedro, vamos embora que isto é câncer e só vao descobrir a cura no século XX.  “se mandaram.” 
O mesmo com o alzeimer hoje. 
O profeta agora está falando que os médicos só falam na morte.  Ah, entendi mal, era segundo ele um caso de tumor na cabeça de uma senhora e o medico falou a verdade, disse que ela iria morrer.
 Segundo o Profeta, a ultima palavra é de Deus.  E ela com voz fanhosa, disse com a cabeça sendo segurada por outra senhora, porque está tonta,  “estou viva”.  Está com marcas de cirurgias cerebelar.  Uma pequena diferença.
Até mais, o sono acabou, o Festival não mas eu não aguento mais ouvir milagres e chegada de dinheiro.
Só me lembro que amanha vou ao Bradesco para pagar uma conta e espero que já tenha sido paga pelo Altíssimo.   Who knows? Perderei a ceia. 
Francisco, te cuida!  Traz ovelhas de verdade.
Meus amigos, agora vou “Adeus Stalin” da autora Irene Popov.
Se conseguir após saber as estrepolias do Stalin, tentarei dormir.
PS2: você está lendo agora, se ferrou!!!  Ficou vendo Ratinho, olha no que deu... rsrsrsrs




CRACK  2
Meu caro colega Drauzio Varella falou na globo que o uso do crack virou uma verdadeira epidemia no Brasil.  Eu que sempre concordo com o que ele fala, desta vez discordo. 
Acho que há mesmo é uma SINDROME chamada BRASIL e o uso de drogas é apenas um “sintominha”  mixuruca.  A doença mesmo tem sintomas muito mais graves e sem cura.
  Vejam o mensalão.  Vejam as enchentes com os prefeitos com o bolso cheio de dinheiro, ou seja CORRUPÇAO, veja a seca do nordeste, CORRUPÇÃO também.
 O senhor Dr. Drauzio mais novo que eu não deve ter pego um país tao decadente.  Eu por exemplo saí do primário sabendo todos os hinos do brasil até o Hino Nacional.  Sabia ler e escrever corretamente, como consigo até hoje.
 A moça dentre 4 participantes (do programa) que sabia um pouco (apareceu só um minuto), não estava suada como  uma louca por calor mas eu creio que ficou  de raiva.  Tinha cara de paulista e disse que uso de crack não se cura em 2 ou 3 dias como um colega que estava debatendo a questão crack.
Se o senhor me perguntasse depois de 53 anos de trabalho com viciados, em tudo o que o senhor imagina, eu lhe diria que qualquer medicamento tarja vermelha, preta, ou sem tarja com exceção de um anti-psicotico antigo, é droga. 
Eu como psiquiatra o uso (anti-psicotico), para segurança dos meus pacientes, para varias doenças psiquiátricas, que retiram o trabalho e de uma vida boa, milhões de brasileiros.  Esquizofrênicos.  Mas esquizofrênicos não da IBOPE.  Até mudou de nome.
Eu até lhe daria uma sugestão.   Aproveite os poucos minutos que a Globo lhe dá e diga ao povo que qualquer coisa pode ser droga e matar  -  desde antipirético, anti-inflamatório e coisas vendidas em farmácia sem receita medica como sorvete em supermercado.  Obesidade mórbida ou  não, mata.  Voltando a “Síndrome Brasil”, a questão da Saúde como o Sr. deve saber está abaixo de caótica.  
Enfim, “A Sindrome Brasil”, mata  na saúde, no trabalho, na habitaçao e para mim  - Sintoma enorme chamado CORRUPÇÃO.  Que não é doença e sim caso de cadeia.  Como isto não acontece , os brasileiros matam  um ao outro por nada.  Sabem que existe IMPUNIDADE.
Para mim, craque mesmo, são o Mané Garrincha e o Zico!!!!





NOVO LIVRO DE TAMARA RAMOS  IRINA BLOOM


Tamara Ramos:  Devorei  IRINA BLOOM, amanha  de manha vou devorá-lo  de novo!!!
Tu escreveste sobre o OBVIO.  GENIAL!!!
O OBVIO é algo genial mas 95% dos leitores não ~vão entender nada ou dizer que é um livro comum, interessante, um bom passatempo.
Só entende o OBVIO, quem sabe tudo ou quase tudo portanto tão genial quanto o autor.
É lamentável te dizer isto porque eu que escrevo o OBVIO e só em Psicanalise e não na literatura total como tu, as pessoas leem o que escrevo e dizem:  “ ou, não entendi nada ou, eu já sabia tudo isso”.
 Agente não sabe se quer ficar rindo ou batendo nas pessoas, chamando-as de burras. 

O Fim do Carnaval!

Na televisão, nosso lindo prefeito( eu não votei nele, por isso posso falar) disse que o Carnaval do jeito que foi este ano, com blocos demais não vai poder continuar.Qual é o jeito? Sujo? Pobre?
É Rio de janeiro, Brasil, subdesenvolvido querido. O que ele deixou subentendido para os que têm QI difrente do dele e o do Bush é que a zona norte (os pobres) estragaram tudo. Logo, pobre não entra mais.  Fim de Panne et Circus!! O Carnaval vai ter que ser para os pobres trabalharem, empurrando caminhão, para os bens aventurados e para os gringos virem para cá e deixarem mais dinheiro( deixaram pouco, pelo que entendi e os pobres sujaram tudo). 



A zona sul não mija na rua, só na minha. Rua esta, com um dos maiores IPTUS do Rio de Janeiro, onde as pessoas mijam e os cachorros cagam e não tem uma lata de lixo em 500m. Aqui tinha, um gari de quase 90 anos, que sumiu e foi substituído por três garis jovens. O gari velho, vinha e os jovens, não! devem ter um "contrato" diferente do contrato do velho.



Como você Paes, deve saber, o Carnaval é ou era até ontem, uma festa catártica (procure no GOOGLE). A catarse pode ser feito de dois modos: festa ou ódio.Logo,se você e seus secretários já pensaram em impedir a chegada dos pobres (os maus), que sujam Ipanema, aqueles tais que fechando o metrô ou impedindo os ônibus que vêm de todos os lugares,desde Minas Gerais até abaixo, chegam em Ipanema e sujam a praia, Risca esta ideia.Os metrôsn serão demolidos, os ônibus queimados, os vidros da Vieira Souto quebrados. Enfim, o outro lado da catarse. O ódio.Vou rir geral e na próxima eleição na qual você já pensou em se candidatar em Deus, estarei em outro partido, disputando a mesma cadeira. Que segundo me parece, não existe.

Antes de terminar, vou te dizer que moro na Rua da Merda, no alto da Gávea, no meio das pessoas "boas", tão boas que não se queixam ao Prefeito, pois são seus colegas, "bons".




VATICANO

UM CERTO CONHECIDO MEDICO ALEMÃO, ESTÁ DE FÉRIAS EM ROMA.  VAI VISITAR  UM AMIGO TAMBÉM ALEMÃO.  ENCONTRA-O TRISTE, DEPRIMIDO POR TER SIDO DEMITIDO DO SEU CARGO.   O DOUTOR ALEMÃO PERGUNTA:

VOCÊ ESTÁ BEM DE SAÚDE?

NÃO, RESPONDE O OUTRO.  ESTOU DEPRIMIDO POR TER DESCOBERTO SÓ AGORA QUE VIVO NO MEIO DA HIPOCRISIA, DESFALQUES, MAU CARATISMO E TUDO O QUE PODE DE HAVER DE MALEFICO.  E AGORA COM A TUA CHEGADA,   NÃO SEI O QUE VAI ME ACONTECER, POIS SEI DE UMA MEDICA CARIOCA QUE DIZ QUE QUANDO AGENTE ENCONTRA COM VOCÊ, COMEÇA A FALAR TODAS AS VERDADES DA VIDA.   NÃO SEI SE VÃO ME TIRAR A VOZ.  POR ENQUANTO, AINDA ESTOU FALANDO, LIGUEI O VENTILADOR.  MAS NÃO SEI ATÉ QUANDO.  VOCÊ SABE O QUE ACONTECE AQUI QUANDO AS COISAS VÃO MAL.  É COMO, IGUAL MESMO A NOSSA TERRA NATAL.

SINTO QUE AGORA VOU BOTAR A BOCA NO MUNDO AO CONTRARIO DA MEDICA CARIOCA QUE DIZ QUE QUANDO ENCONTRAR COM VOCÊ, VAI VIRAR CARMELITA. 

SEGUNDO ELA QUANDO AGENTE ENCONTRA COM VOCÊ, APARECE A VERDADEIRA IMAGEM DO QUE SOMOS OU FOMOS.    ELA TE ESPERA PARA DAQUI  20 ANOS SÓ, PORQUE TEM QUE TIRAR A LIMPO UM MONTE DE COISAS AINDA.   EU TAMBÉM PRECISARIA DE UNS 85 ANOS PARA RESTABELECER-ME E CONTAR   TUDO O QUE SEI O QUE É MUITO, MUITO MESMO!!!   COMO VOCÊ SABE, TIVE VÁRIOS EMPREGOS SÉRIOS E DE MUITA RESPONSABILIDADE. AGORA NÃO SEI PORQUE ESTOU ANDANDO COM DOIS CARAS ME SEGURANDO.

OU SERÁ QUE ESTÃO ME CALANDO PARA EU NÃO GRITAR O QUE SEMPRE PENSEI -  SE NÃO FOSSE JUDAS NÃO SERÍAMOS A MULTINACIONAL MAIS ANTIGA DO MUNDO. 

Publicado em: Fevereiro de 2013



URINOTERAPIA

A todos , procurem no Google que verão que esta terapia é usada há 5.000 mil anos no Oriente, e no Ocidente nos anos 60 e agora os americanos estão descobrindo de novo o ôvo de Colombo.

Assisti no National Geographic a volta de um estudo feito nos anos cinquenta do outro século:  A ingestão por parte de uma pessoa de sua própria urina.  Isto  considerado um resultado benéfico para sua saúde. 
Não foi bem explicado.  Mas eu tenho uma experiência interessante a contar sobre o que estudei nos anos sessenta, em que houve uma campanha mundial de uso de LSD (ácido lisérgico), nos hospícios.  A ideia era tentar fazer com que neuróticos internados ficassem psicóticos, para assim mais facilmente serem tratados.

É que haviam descoberto uma substancia chamada TARAXEINA na urina dos esquizofrênicos.

Tal substancia, tem (segundo estava nos livros) a mesma cadeia  (ainda não se conhecia o DNA), bioquímica absolutamente semelhante à do LSD.
Logo, os esquizofrênicos não precisavam tomar o LSD, pois a ideia era que em surto psicótico os neurônios  secretariam a TARAXEINA, motivo pelo qual aparecia a esquizofrenia.

Não vou me repetir.  Esta experiência foi feita também na Clínica Pinel em Porto Alegre quando lá eu estagiava.

Os neuróticos não enlouqueceram, só aumentavam em quantidade seus sintomas  (chatos).
Os esquizofrênicos não tomaram, é claro.

Pois bem, resultado zero.

Até hoje tenho pacientes “neuróticos” que passavam por esta experiência em grupos de psicanalises que proliferavam, em capitais como Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro.
Nos anos 70, na Pensão Margaridas recebi uma paciente que fazia psicanalise e segundo a família  surtara  após uma sessão de analise. 

Foi internada na Pensão Margaridas aos meus cuidados.

Como a Pensão não deixava (por experiência minha), ninguém entrar e se trancar no banheiro, um dia vi a moça tentando, com as mãos em concha tomar sua própria urina.
Prontamente fui à cozinha peguei um copo, coloquei uma etiqueta com o nome dela, pois ao lhe perguntar porque fazia aquilo ela me respondeu:

“meu analista  me disse  na semana passada – “você está tentando se libertar de seus objetos bons”, quando eu lhe pedi para fazer xixi.  Aí não sei mais nada.  Quando vi estava aqui”.

Mostrei-lhe o copo onde devia fazer xixi e que ficaria sempre no banheiro. 

É claro que ao comunicar o fato aos outros trinta pacientes no grupo operativo e na supervisão aos estagiários, foi um auê danado.  Só não me chamaram de bonita.

Fui  de maluca para porca, num instante.  Especifiquei que não haveria mal algum para a pacientes pois a  urina era dela.  Ninguém mais poderia toma-la.

Na verdade o resultado foi incrível.  A moça em poucos meses estava trabalhando.  Tomou sua própria urina durante um mês mais ou menos, dispensando-a depois.

Com psicoterapia psicanalítica se refez rapidamente e começou a trabalhar  de dia e à noite dormia na Pensão.

Mais ou menos uns seis meses após , teve alta.  Bem. Está bem até hoje.  Tenho o follow up de todos meus pacientes.  O Rio de Janeiro é pequeno e o Brasil também. 

Isto é outro assunto.  





SÓ  FRASES

1.     “O câncer é a esquizofrenia das células”.  (Joao Jorge).  17 anos de idade em  1969.

2.     Todo aidético deveria fazer terapia (boa terapia para melhorar).  Eu.  (desde sempre).

3.     Engraçado, o Cachoeira ficar desidratado.  Nunca imaginei que desidratado fosse doença auto imune.  Incrível.

4.      Afinal o Lula bem como toda sua máfia também só tem dois neurônios.  E, eles nunca batem.  Há um professor, o dono do crime perfeito a seu lado no Planalto há mais de meio século.

5.      “Todos os loucos que conheço, menos eu e você, não fazem tratamento.  Nem sabem que são loucos”.  Norma S.

6.     A partir do começo do ano que vem vou dar aulas gratuitas em varias instituições.  Aprendi muito com as pessoas que cercam e sinto a necessidade premente de mostrar a quem quiser me ouvir, de passar meus conhecimentos a muita gente que ainda não sabe a diferença entre paranoia, esquizofrenia e doença maníaco depressiva.  E sofrem com isto.  Alias, socraticamente, me vejo cheia de “saberes” que quero passar adiante e ao mesmo tempo espero viver muito para saber o que não sei.  (a respeito do que seria o meu “trabalho”, que é na verdade um imenso prazer).  Me aguardem.

7.     Descobri que há um medicamento por aí contra o Mal de Alzheimer que vai brigar no comercio logo logo com o Viagra.  Lembro de um medicamento experimentado para pressão alta humana que hoje está nas prateleiras de Pet Shops vendido como remédio contra, pulga de cachorro.  É a vida!

8.     “Só um louco curado entende outro louco”.    Frase do meu 1 supervisor na Villa pinheiros – Rio – 1970 – citando um outro psicanalista.  Ele era o Dr. Jose Maria Maduro Paes Leme que ao me ouvir dizer a um paciente que saiu da Terapia Ocupacional aos berros dizendo  “EU  SOU DEUS”,  eu cheguei perto e disse “ AQUI DEUS SOU EU”.  Eu era chefe de Clinica e ele “paciente”.  Ganhou o que tinha poder.  EU.  Ver “Psicanalise Direta “ de ROZEN.

Assistem filmes engraçados sobre o fim do mundo no canal National Geographic. 

Os estocadores de alimentos para quando o mundo acabar.  Para os outros.  São aulas fantásticas  e engraçadas de Narcisismo que ninguém entende mas nos filmes a gente pode ver.  Parece a velha que aterrorizou minha infância comprando velas todos os sábados no armazém  dos meus pais.  O mundo ia acabar e ela sobrava, ela estava se precavendo.  É uma longa estória.  De morrer de rir.  Beijos a todos. Feliz Natal e Feliz  2013 , se  o Netanyahu  deixar.

Volta a pedir aos meus amigos “judeus, uni-vos e  acabem com o Hitler II.”

---------------------------------------


CARTA AO NATIONAL GEOGRAPHIC

ASSISTO TODOS OS PROGRAMAS DO NATIONAL GEOGRAPHIC, POIS MINHA COLEÇÃO DA REVISTA NÃO PODE SER COMPLETADA. AS REVISTAS NÃO CHEGAVAM.  PROVAVELMENTE FICAVAM NO CORREIO. 

SENDO ASSIM ASSISTO NA TELEVISÃO O QUE EU GOSTARIA, SÓ QUE EU SÓ VEJO ULTIMAMENTE OBESOS MÓRBIDOS REPETIDAMENTE.

 TAMBÉM REPETIDAMENTE PROBELMAS COM O SUDÁRIO DE TURIM QUE EU DESCOBRI QUE É FÁCIL DE FAZER AO VER UM LENÇOL BRANCO MEU CHEIO DE MANCHAS AMARELADAS COISAS FEITAS PELO TEMPO.

   ALEM DO MAIS, SE O SUDÁRIO AINDA EXISTE ELE DEVE TER SIDO FEITO DE UM PLASTICO MUITO BOM POR ALGUM ET HÁ 2012 ANOS.  FATO CONSUMADO.

 JÁ FALAM NA EXISTÊNCIA DE ETs NO MEIO DA GENTE.  EU ACREDITO EM TUDO.  SÓ QUE UM OUTRO PEROBLEMA MUITO GRAVE PELO QUAL A HUMANIDADE TEM CORRIDO A PROCURA DO TAL DE SANTO GRAAL.
 
SEGUNDO PROFUNDOS ESTUDOS PSICANALITICOS DA MINHA CABEÇA CHEGUEI À CONCLUSÃO QUE O SANTO GRAAL NÃO É NADA MAIS NADA MENOS QUE O ÚTERO DA MARIA MADALENA COM A QUAL JESUS CRISTO DEVIA SER CASADO E QUE TEVE FILHOS.

 NINGUÉM É DE FERRO!!! POR FAVOR, NATIONAL GEOGRAPHIC VIREM A PAGINA E COMECEM A MOSTRAR OS BURACOS NEGROS DO CÉU, COMO SE PENSA QUE NASCEU O UNIVERSO E COMO SURGIU O HOMEM E PARA QUÊ.

 OBRIGADA CARMEM DAMETTO. FIEL LEITORA E TELESPECTADORA DO CANAL NATIONAL GEOGRAPHIC.

OS: GOSTARIA DE SABER O FOLLOW UP DOS SUPER OBESOS. SOU MEDICA POR ISSO ME INTERESSA.  


Publicado originalmente em: 08/11/2012



APAGÃO  -  REDE GLOBO

“APAGÃO” FANTÁSTICO!!!!!!!!!!!

O BRASIL GIRA EM TORNO DA REDE GLOBO.

GLOBO NEWS  “...ontem a noite, minutos antes da novela das  9 houve um apagão no Nordeste”.

Incrível pois sempre achei que um APAGAO vinha atrapalhar toda a indústria, o comercio, os hospitais, e toda a vida civilizada do Nordeste.  Fiquei satisfeita de saber que só afetou a AVENIDA BRASIL!!!!

FRASES DO DIA

1.       Estranho APAGAO DE BRASILI, hoje, 5.feira.

2.       Álcool faz mal ao corpo, a mente e a política.

3.       A maior parte das pessoas tem seu preço.

Triste!!!!  O Brasil hoje deveria estar de luto.  Vou comprar uma burca para ouvir alguns ministros.  Como diria o Boris Casoy “ isso é uma vergonha”!!!



Publicado originalmente em: 04/10/2012

POIZÉ

Música – não me lembro do autor.  Letra - modificada por Carmem mais alguém com cabeça para fazer o resto.

“POIZÉ
FALARAM TANTO
QUE DESTA VEZ
A MAFIA TE ENTREGOU
ACHAVAM QUE ERAS O MAIORAL
MAS......”
(Para quem não lembra da letra e da melodia, Ataulfo  Alves cantava)

“ POIS É
FALARAM TANTO
QUE DESTA VEZ A MORENA
FOI EMBORA
DISSERAM QUE ELA  ERA A MAIORAL
E EU É QUEM NÃO SOUBE APROVEITAR....”

Publicado originalmente em: 18/09/2012


O VERTÍGIO -  ANO  2005 D C

Havia ratos em abundância na minha casa.  Nada dava conta.  Agora  o “Má”  “o gato”  cujo cheiro espanta qualquer bicho começa pelos passarinhos que vem me visitar até os miquinhos que não podem pegar a banana que lhes deixo no alto do muro, pois temem o gato “Má” – o Inspetor Geral da Casa.

Voltando a 2005 DC comentei com alguém que não aguentava mais os ratos – rato mesmo, nada a ver com o Planalto.

A pessoa me disse que a Comlurb fazia este trabalho bem feito e que não oferecia risco para os meus amados vira-latas (na época:  Micke Tyson, Tina Turner,  Mao Tse Tung e Tininha.  Tudo “fera” no nome.  Tina Turner era pastora alemã racista e não gostava  mesmo de Tininha, que era preta.

 Pois bem, em sendo assim chamei a Comlurb, que prontamente, (????) me mandou um servidor.  O servidor se apresenta gentilmente.  Conto-lhe o que preciso.

Ele: “a sra. tem algum VERTIGIO? "

Meu deus, que será um vertígio?  Nunca ouvi esta palavra nem nas palavras cruzadas.  Deve ser uma coisa nova, algo de internet que eu  não entendo.  “Ou coisa de veterinário”.

Eu: “ o que é mesmo um vertígio?”

Ele:” bem, a senhora sabe....

Eu: “ não, eu não sei.  O senhor veio aqui para matar ratos ou eu me enganei?:”

Ele: “ tem que saber como é o vertígio.  A senhora guardou algum para me mostrar?”

Penso novamente e tenho um insight psicótico. Ah! Vertígio é o cocô do rato!!!  Não!!!  Estou louca. Ninguém v\ai querer que eu colecione cocô de rato.

Em todo o caso não custa perguntar, neste momento Kafkiano de minha vida.  Tudo pode ser o que não é.

Eu: “o Vertígio que o senhor fala é o cocô do rato?”

Ele: “ isto mesmo senhora!!!  (alívio de ambos).  Kafka puro.  Passarei a respeitar as baratas em vez de mata-las com meu “crack” da sola do sapato.

Aí ele me diz – “ se o vertígio é pequeno quer dizer que é “camundongo”.

Eu: “não, não é”.

Ele:  “ aí eu não posso fazer nada porque ratinho pequeno tem a ver com a Prefeitura.

Eu: “ sim....  O Estado, a  Comlurb, pega o médio.

Ele: Isso mesmo, a senhora está me entendendo’

Eu: “A ratazana é Federal?”

Ele: “ nunca tinha pensado nisto.  Deve ser”.

Eu: “ portanto, sem saber o tamanho do vertígio o senhor não pode fazer nada, senhor, como é o seu nome mesmo ?

Ele:  É  Joséph Levoski

Eu: “ que nome difícil”.

Ele: “é polonês......”

Ah.. Kafka de novo.  O homem mistura política com ratos.  Será mesmo da Comlurb ou do SNI?  Caramba onde me meti!!!

Eu: “ o senhor não vai fazer nada?”

Ele: “ não, quando a Sra. tiver meu vertígio “na mão” me telefona que eu volto.

Uns dias depois descobri meu “vertígio”  -  DE RATAZANA !!!!  SÓ PODIA SER!!!  COMIGO DÁ TUDO SEMPRE NO Planalto.  Gente fina!!! Eu...

Falando em Planalto soube hoje, 20/02/2012 DC que uma grande ratazana quem sabe  um TAPIR, caiu dentro de uma arapuca cheia de água vinda de uma Cachoeira, no Planalto.  Quem sabe um dia a gente se livra da Máfia Escancarada!!!  Who Knows??

112.09.2012.   de Carminha Paz e Amor.   Bom Dia a todos.


Publicado originalmente em: 15/09/2012



LANÇAMENTO DO LIVRO UM NEURÓTICO NO DIVÃ - INSPIRADO NO TRABALHO DA DRA. CARMEM DAMETTO

A escritora Tamara Ramos acabou de lançar o livro UM NEURÓTICO NO DIVÃ, uma comédia filosófica baseada no estudo de psiquiatras e psicanalistas como Sigmund Freud, Carl G. Jung, Reich e ...Carmem Dametto!

A escritora conheceu a obra “Personalidade Psicótica e Psicose” vinte e quatro horas antes de enviar o NEURÓTICO para a editora e, após terminar a leitura, descobriu que precisava fazer diversas modificações conceituais no que se referia aos termos da loucura. O encontro com a obra de Carmem obrigou a escritora a trabalhar madrugada adentro até que fizesse jus ao trabalho da psiquiatra.

Tamara Ramos tornou–se então uma grande fã de Carmem Dametto e, inspirada pelo trabalho da médica gaúcha, interessou–se em aprofundar seu estudo sobre as complexidades da mente.

“Para mim, Carmem Dametto é um daqueles gênios que só serão reconhecidos daqui a uns 100 anos, quando a própria ciência avançar. Adoro a tese do “pênis analítico” e da abordagem anárquica, legítima e altamente eficaz da Dra. Carmem. Não dá para estudar psicanálise sem conhecer o seu trabalho. Qualquer estudo fica incompleto sem a leitura de Carmem Dametto” , diz Tamara.

UM NEURÓTICO NO DIVÃ está sendo recebido pelos leitores com grande entusiasmo, e sendo comparado à escrita de contistas russos como Nikolai Gogol e Dostoievski. A autora gosta de afirmar que trata–se de uma obra leiga (Tamara é formada em Direito e autodidata no estudo da psicanálise) e que por isso seu NEURÓTICO não deve ser levado tão à sério. Seja como for, a obra provoca profunda reflexão nos leitores e obriga todo mundo a repensar as escolhas que faz na própria vida.

Publicado originalmente em: 27/08/2012



O VIRUNDU

Bonita essa palavra, não?

 Estava eu 6.feira a noite vendo o começo das Olimpíadas com o Brasil jogando futebol contra Camarões. Nossas meninas fizeram gol de cara, as nossas queridas atletas, vibrei. Só que, ao se formarem no campo não sabiam O VIRUNDU. Isso é muito triste. Fazem gol que é uma coisa dificílima e não sabem O VIRUNDU.

Lembrei do meu querido Flexa Ribeiro (Andrews), que me dizia: “minha filha, esses alunos aprendem química, física, matemática e não aprendem O VIRUNDU”. Disse-lhe que não sabia do que se tratava. Ai ele cantou: “Ouviram do Ipiranga as margens plácidas De um povo heroico o brado retumbante, E o sol da liberdade, em raios fúlgidos, Brilhou no céu da pátria nesse instante.” Não heroicobrado, é heroico brado, por favor!!! Eu acho que os dirigentes dos atletas talvez também não saibam O VIRUNDU. Eles tem sempre muitas tarefas, ir atrás de dinheiro, bolar uniformes para ganhar um extra ou pode ter tido um problema na sua própria formação do que chama hoje de ensino fundamental. Fico muito triste mesmo, pois o tal DO VIRUNDU é o Hino Nacional Brasileiro que é fantasticamente lindo. Mais do que o Italiano que até o Schumacher adora. Eu, como descendente de europeus não sabia português e tive que estudar em escola rural municipal em Carlos Barbosa, RS. Tive um curso primário primoroso e a professora nos ensinava a cantar o nosso Hino. Aliás, ele, e todos os outros hinos brasileiros que faziam parte da capa dos cadernos. Era horrível não saber os hinos todos. Baixava a nota. Hoje, neste país Macunaímico pede para os atletas, provavelmente, para mexer os lábios na hora de cantar o hino nacional. Eles o fazem, mas não tapeiam ninguém. Assim caros senhores da CBF me proponho gratuitamente a ensinar O VIRUNDU para que eles cantem. Vou explicar para eles, claro, do que se trata quem escreveu a letra e a musica que não foi o Lamartine Babo e quando foi a tal de Independência do Brasil. Mas que o sete de setembro, não é um feriadão. E que o Ipiranga não é um Posto de gasolina da Petrobras. Aguardo o chamamento. Até a próxima Olimpíada.


Publicado originalmente em: 30/07/2012



VIAGENS – LENINGRADO

Ano de 199?? Estamos em frente ao Hermitage, (museu tão bom ou mais maravilhoso que o Louvre) quando nossa guia, de 24 anos, aluna do Curso de Turismo, casada e com um filho), diz: “vocês tem maridos maravilhosos”. A minha amiga de viagem também é medica e solteirona como eu, levamos um susto com a frase. Perguntamos o por quê? -A guia: para pagar uma viagem tão longa e tão cara. Eles devem ser muito legais. -Nós: Não, não temos marido. Nós trabalhamos. -A guia: como? -Nós: somos médicas. -A guia: e vocês trabalham? Não ficam no salão de beleza como se vê nas novelas? (obrigada Globo, isto é que mostrar o país-bosta que nos consideram lá fora!) - Respondemos: Não, a gente não vai a salão. As novelas são pura fantasia. - Ah, então no Brasil as pessoas trabalham? (não Pedro Bó, todos como diria o Rockfeller, acordamos cedo um dia, tivemos sorte e descobrimos um poço de petróleo). - Respondemos: Sim, os que conseguem emprego trabalham. - Guia: Eu pensei que só aqui a gente trabalhava. (Realmente não era um ser pensante e nem poderia ter o direito de usar o verbo pensar). Mas para o resto que ficou da Rússia, onde todos eram empregados do Governo, e lá como cá não faziam nada, Ela estava se saindo bem. (Falo dos funcionários do Planalto). Era Guia 4 horas por dia. “Muito cansativo”. Segue, quantas horas vocês trabalham? - De 12 a 15 horas por dia. (quase desmaiou). -Guia: Nossa! (tudo em espanhol, pois no Brasil se fala espanhol. Obrigada Globo e suas novelas. Muito esclarecedor. Ainda bem que não nos disse que a capital era Buenos Aires. A gente merece. - Guia: Posso fazer outra pergunta? - Claro! (devíamos ter cobrado por esta resposta). - Guia: Minha avó que tem mais ou menos a idade de vocês fala muito “num tal de Lenin...” - Nós: Nos entreolhamos apavoradas, com tamanha falta de conhecimento. “Vocês não estudam História no teu curso de Turismo?” - Guia: Não, é só turismo. -Nós: Mas para turismo tem que saber história, geografia, ler os Dostoievski da vida.... -Guia: Quem? Dosto..... o quê? Assim era demais. Igual ao cara que na Globo disse que o Graciliano Ramos estava na Feira de Livros de Ribeirão Preto há 20 dias atrás. Enfim ignorância é coisa universal. UFA. QUE ALIVIO) - Nós: nada. Esquece. - Mas o Lenin? --Nós: Estamos em Leningrado, você sabia? -Guia: Não, aqui é São Petersburgo. -Nós: Antigamente se chamava Leningrado. -Guia: Tem a ver com o Lenin da minha avó? -Nós: Tem. Este senhor pensava em fazer um mundo melhor. - Guia: como? - Nós: Ele e um tal de Marx! (aqui me lembro do Brizola nos seus comícios antes de 1962, no interior do RS quando dizia: “o companheiro Carlos Marques”, e todo gaúcho achava que o “companheiro” tinha nascido no Bagé e pregava a divisão das terras para os mais pobres. As do Brizola eram no Uruguai, portanto não haveria problemas. -Guia: Quem era esse tal de Mar... - Nós: Era um alemão que também pensava em um mundo melhor. Você não estudou que houve uma revolução aqui e que mataram a família toda de “um tal de Czar”? (já entramos nos termos dela, claro!) Não está nos livros de História? “Não sei”. Precisa se informar. Guia de turismo precisa saber muito. Cheguei a cogitar que “um tal de Stalin” tivesse apagado também a Historia. Tudo é possível. -Guia: então, o Lenin era um sujeito bom? -Nós: Era. Os finlandeses é que continuam a adorá-lo. -Guia: Finlandeses? Mas isto é outro país. Nós: É, mas eles gostam dele pois devolveu sua independência como país. -Guia: que bonito. -Nós: muito. - Guia: Ah, bem então, este Lenin existiu mesmo.  Pensei que minha avó estava ficando maluca, que tudo é “quando Lenin estava aqui, isto não era assim”. -Nós: Pois é viajando e aprendendo. Coitado do Lenin, cheio de estátuas dele em S. Petersburgo e ninguém talvez saiba quem ele foi. C’est la vie.

Publicado originalmente em: 24/06/2012



REUNIÃO DE CÚPULA NO MEU BANHEIRO

1. A balança me disse que meu peso não garante a sustentabilidade dela.

2. Pergunto eu. Que será da indústria cacaueira? Revolta geral entre minha voracidade biodegradável, uma parte da economia mundial e o comando de uma balança falante Biodiversidade, é coisa séria mesmo. É o que está falando a Hillary (tá rindo de quê, Hilária. Do peido de alguém ao lado?), você que deixou parte do marido para uma Monica qualquer, que usou apenas uns centímetros da Bio-Clinton-diversidade, não sabe nada mesmo.. Vai para casa – Go Home, como nos velhos tempos. Dilma, cala a boca dessa mulher que pensa que é dona do mundo, manda ela esfregar o chão com casca de coco para ver como é bom. Falando nisso – Maria Erundina hein?? Mostrou que tem culhão o que muito cara que pensa que é macho, não tem. Voltando à biodiversidade. Adorei a mulher, (não sei se foi sacanagem ou não), que respondeu a um repórter se ela sabia o que era biodiversidade. Ninguém na rua sabia, aliás nem ele e ela respondeu com cara de paisagem – “é alguma coisa que tem que ver com o Dalai Lama?” Genial heim? Morri de inveja dela. Esta coisa de biodiversidade fez muita gente se sentir burra. Igual a um painel que existia na construção de um edifício de ricos aqui no começo da rua. O painel dizia “venha ser vizinho da natureza”. Ficava me perguntando o que seria a tal “natureza”. Um Colégio de Freiras, uma planta, uma sorveteria? Achei incrível que alguns ricos tenham comprado aqueles apartamentos. Ou estou com mania de grandeza ou – eu sou a natureza, meu vaso de flor de plástico, a rua, a Rocinha, as pessoas, o super mercado, enfim tudo que há no mundo incluindo as catástrofes e a poluição. Não sei mais nada. Vou ter de perguntar a um amigo geógrafo se estou certa ou preciso fazer um curso de biodiversidade de onde um monte de pessoas, ganhou uma bolada de dinheiro. Até a água no posto seis, era vendida a três reais, o copo. ONG, né? Hah – Agora entendi tudo – biodiversidade é o nome de meu grande Banco Multinacional onde quem chega perto do chefe ganha muito dinheiro. Resolvi o enigma já posso dormir. A insônia é uma merda. Boa noite ou melhor feliz madrugada. Jesus eu prometo nunca mais ter de olhar para a cara de uma mulher como a Hilária que enfim decidiu o que fazer com a mesma (cara) – uma boa plástica e um rabo de cavalo. Finalmente acertou. Óleo de Peroba nela. Go home Hillary!!!. Bom dia a vocês. Ps: antes que me esqueça depois de ouvir a frase altamente educativa, tive o prazer de ver uma propaganda, meiga que só ela. Primeiro, ela começa falando de uma “viagem.” Será que vão fazer propaganda de LSD, pensei eu, da “Velha Guarda”. Não, seguiu assim: “Red Bull, te dá asas, mas só se você beber”. Genial. Viva os publicitários que não pensam na saúde de ninguém. Logo, logo, veremos uma ONG vendendo “ auaska” (ayahuasca). Tomara que ponham uma saca da mesma na Adutora de Aguas de Brasília. Ninguém mais mentiria. Doido não mente!!!!!!!!!!!!! Isto seria um grande barato para nós o povinho pagante PASSA A RÉGUA

Publicado originalmente em: 09/07/2012



GLOBOCRACIA

Preciso definir o que é ISTO. É uma ditadura da burrice e do mau caratismo, que vou perseguir até morrer. Não quero e não vou ser mandada pela Globo, nunca. Sou livre. Será que, parafraseando Fernando Pessoa, só eu sinto as porradas da Globo? Ou as pessoas tem medo de seu poder? Quem foi o professor primário dos Marinho? Hitler?. O que estão fazendo da “minha patriazinha?” (Vinicius de Moraes). Subcultura e mau-caratismo. O SENAI, o SENAC, o SESE etc, etc, estão fazendo o diabo para alfabetizar este povo sofrido e mal preparado para tudo e vejam o que a Globo anuncia depois das “meninas da patriazinha” ganharem o voley das chinesas. “A partir de amanha, fale com seu chefe (jeitinho!), faltem à Faculdade, (de noite só tem faculdade, não tem ensino primário, não é Globo? Pois devia ter) deixem tudo para assistir o FUT-SAL aqui na TV ESPORTE”. Dá para aguentar isto? Até eu que sou de Carlos Barbosa, não vou deixar de trabalhar para ver minha pequena cidade nativa que entrou no mapa, não por causa da Tramontina, mas por causa do Fut-Sal. Ah! Você não sabia que a Tramontina que emprega milhares de pessoas é de Carlos Barbosa, né! O cara da Globo sabe? Não. Nem sabe que o Graciliano morreu. Que coisa triste. Não sabia até hoje porque choro ao ouvir o Hino Nacional. Agora sei. Minha Pátria que eu conheci em criança era outra. Muito diferente e a gente pensava no futuro com alegria, pensava em prosperidade, um Brasil Grande. Agora só se vê corrupção. E a Globo trazendo os “tempos modernos”. Voce que transmitiu esta besteira, você já pensou que havia crianças, adolescentes e não só velhas como eu assistindo você? Ou você não tem pai? Voce já pensou o que um casal pensante pode ter pensado de você? O mesmo que eu. Na haveria emprego ou dinheiro que me obrigasse a dizer tamanha sacanagem. Isto é IMORAL, ANTI ÉTICO. VERGONHOSO. Logo depois da Globo ganhar uma grana com a Biodiversidade? (vocês da Globo, para ganhar dinheiro dão um curso às 6 horas da manha. Para quem? Para os insones? Não é para o trabalhador e nem para as pessoas que tem que estar na aula para que no futuro não venha a falar as besteiras como esta. Espero. Eu ainda espero. Espero com veemência que a Globo se afunde ao chegar alguém lá de Brasília e cobre suas dívidas com o INSS. Não sei se vai aparecer macho para isto pois a Globo é monstruosamente destrutiva e poderosa. Mais que as outras estações de TV. Com certeza. Ps: Dilma Roussef , tu que tens ministros, manda um deles ou inventa outro- “ministério da Audiçao” para ver TV o dia inteiro e saber o que está havendo no Brasil, com os “Poderes Paralelos”. São muitos mas o mais perigoso é o que as pessoas escutam. “Tome uma braminha”. “Coma Iogurte”. Isto é muito, mas muito pior que dizer “use cocaína”. E você que já foi gaúcha como eu, sabe o que estou dizendo. TOMA POSSE DESTE PAÍS. Tu foste eleita. Eu assisto a Globo porque faço questão de aquilatar diariamente a que a nossa mídia quer nos reduzir. Como diria o cômico TOM CAVALCANTI     “Passa a régua”


Publicado originalmente em: 24/06/2012


VENEZA   -  1971

Outros carnavais. Outras vidas. Dava para ir à Europa todos os anos. Ir a Paris, comer pizza na subida de Champs Elisée, perto da Torre Eiffel e comer a melhor pizza do mundo (no meu entender), e subir mais um pouco, sentar ao sol e tomar o bom vinho nacional Chateau-Neuf-du Pape. O problema eram os franceses com seu mau humor. Os italianos com sua pose de país rico e nos chamando de sottosvellupatto. (subdesenvolvidos). Arrogância geral naquele continente velho e sugador. Nós, do “tiers monde”, como nos chamam os franceses, pagávamos bem. É bom ver as coisas acontecendo. Não é revanchismo, não. Simplesmente uma questão de honra continental.

Primeiro, eles nem sabiam e talvez nem saibam ainda onde é o Brasil, capital Buenos Aires.

Segundo, com seu espírito colonizador, maltratam os subdesenvolvidos achando que a gente não sabe a língua deles. Poveretti, pauvres, poors. A gente sabe, sim, apesar deles. Depois do que vou contar o que me aconteceu em Veneza em 1971, vão entender porque não voltei à terra dos meus ancestrais. Me dá nojo. Tenho muitos primos lá. Alguns até milionários e com brasão, que acham que a gente vai procurá-los para “pedir dinheiro emprestado”. “Ora, ora!” Veneza – 1971 - ao passear, vejo uma loja inteira de queijos. De todos os tipos. Sou louca por queijo. No dialeto vêneto que eu falo, que é formaggio. O nome da loja – FORMAGGIO. Depois do almoço, eles descansavam na hora do almoço, isto é, de 12hs às 16 hs. Não sei se ainda fazem isto, pois acho que nem almoço eles tem. Eles são superiores. Tem a Fiat. A Ferrari. E daí? Só acho bonito o Schumacher dentro de uma Ferrari, a Ferrari eu dispenso, (que mentira!).

Como ia dizendo, vejo a loja e entro. Mil queijos na loja. - Bom giorno. - Bom giorno signorina. - Io volio formaggio. -...seuzzi signorina, não capisco. Riu (acho que pensa que é o Rossano Brassi conquistando Catherine? Uma artista solteirona americana). Não acho a mínima graça. Já vi este filme. Ele pensa que sou gringa do Norte e isto é o pior nome de que podem me chamar. Ele espera que eu diga “cheese”. Enquanto ele espera eu penso em que maldade posso fazer de volta por ser tachada de burra e norte-americana. Isto para mim é além de minha capacidade de suportar. E se como amiga eu sou apenas quase razoável, como inimiga, SOU PERFEITA.

Guerra é guerra. E isto que este fascista quer, vamos lá. - Signore, aponto o queijo que é a única coisa que ele tem naquela loja para vender, além da alma que provavelmente ele não tem e se tivesse venderia por 500 liras. Miseráveis italianos. Porque o simum ou o siroco não os leva todos, junto com os franceses para o Ártico? Para que servem estes ventos que vem do Saara? No Ártico eles todos se dariam bem com aqueles lindos bichinhos brancos (2m altura), chamados ursos. Carnívoros, claro! E deixavam as obras de arte para a gente ver, estes gigolôs do medievo em italiano a expressão é mais forte (prosseneta del cincoecento), que se pronuncia prossenta de chincoechento) Eles não esperam que haja inteligência fora da Europa. Voltando ao queijo. Isto tudo foi pensado em um milionésimo de segundo. O fascista não me conhece. Digo-lhe então em francês. - Fromage, signore, apontando. Claro, uma forma de queijo. - No capisco il franchese, signora. Filho da puta, se gozar apanha, pois agora vou dizer o que ele quer ouvir. - Cheese, signore... - Ah! Formaggio!!!!!!!!!!! Tá legal. Se gozar te furo o saco. O 1º round ele ganhou por “nocaute”, pensa ele. Eu, não, estou botando bala no canhão. Põe um queijo inteiro do que eu pedi no balcão. Aí de sacanagem pensava e sem remorso, pedindo desculpas internas a um tio meu que era queijeiro, fiz um quadrado, que seria a parte que eu iria levar. Restou uma peça, engraçadíssima, imaginem tirar um quadrado de uma esfera. Eu ria por dentro me lembrando do ginasial. Eu me perguntava, será isto um obtusângulo? É que nunca aprendia estes ângulos, mas no caso tinha a ver o obtuso, o italiano “esperto”, que falava inglês e o ângulo que se formou que eu não conhecia. Vivendo e aprendendo. - botou o pedaço na balança. (provavelmente achando que iria me cravar em dólares, meu deus, como gostam de dólar!) e me disse “quatrocento grammi” signorina (quatrocentos gramas). - Gracie tanto signore, ma ho cambiato d’idea. (obrigado mas mudei de ideia) e saí porta a fora. O homem pulou o balcão e me seguiu uma quadra aos berros, eu em cima de um sapato amarelo, comprado em Veneza mesmo, de 18 cm, andava calmamente e mostrava como boa americana o dedo médio. Ele só não me xingou de bonita. Eu virava e ria naquelas estreitas ruelas de Veneza. O sapato existe até hoje. A lembrança também. Como é bom viajar. E rir para o resto da vida. Na verdade eu agora prefiro não saber a língua. É cansativo brigar. AGUARDEM NOVOS CONTOS DE VIAGENS.

Publicado originalmente em: 24/06/2012



DENTADURA

Não é que eu tenha tempo livre demais, mas tenho visto um programa sobre dentes, dentaduras e adjacências, na TV Globo News. Afinal, é um documentário??? É propaganda de algum amigo da Globo?? É muito chato! Globo New!! Além de tudo é macabro quando se vira a cabeça e dá de cara com uma dentadura sem um portador atrás. Minha preocupação é que todos os brasileiros, aproveitando o precinho barato, resolvam botar estes dentes. Finalmente, teremos todos o mesmo sorriso, a mesma lente de contato, os cabelos iguais e não saberemos mais quem é quem. Isto é, falo das pessoas hipnotizáveis, os seres inferiores.

Nós os Alfas, botaremos os Betas (com os dentes iguais, narizes iguais, cabelos iguais, peso iguais, etc ) a trabalhar para nós. Nós Alfas feios, mandaremos nos perfeitos “Beta”, (veja o “ Admirável Mundo Novo”), que pisarão nos Gama, os não pensantes, ou melhor, débeis mentais, numa cópia da cara do Bush. Ele é perfeito, tem a testa pequena próxima daquela do homo sapiens, vai ver ele é o elo perdido!!  Por favor, palmas para mim!!!! Descobri, o Darwin deve estar se mexendo. Por favor, Globo, mais Maria Beltrão, Miriam Leitão, Chico Buarque e outras pessoas bonitas e inteligentes. Me poupem!!! Por favor.

Publicado originalmente em: 23/06/2012


BIODIVERSIDADE

AOS MEUS LEITORES Lamento eu estive empenhadíssima na Biodiversidade onde ganhei uma grana roxa que eu estava precisando para ir para os Himalaia antes que eles derretam e virem piscina. Contarei depois como foi bom participar da micareta de noite, 4.feira na Av. Rio Branco vestida de índia, peito de fora, arco e flecha depois de ter passado o dia inteiro ajudando umas meninas gostosas , tentando levantar a barraca de um homem muito bonito e que elas não deram conta sozinha, precisavam da minha experiência em “levantação” de barraca.

Publicado originalmente em: 22/06/2012



O  IPM  ou   PRIMEIRO DE ABRIL

Em abril de 1964, cursava eu o quinto ano da faculdade medicina da UFRGS-POA, trabalhava na clínica Pinel à noite como auxiliar psiquiátrica, que hoje sei ser o trabalho mais difícil dentro da psiquiatria e psicanálise. Mesmo assim, tinha tempo de ser filiada ao PCB. Até fui secretária na FEURGS, Federação dos estudantes da URGS, do Marco Aurélio Garcia, que veio a trabalhar com Lula e agora sumiu. Ele era da AP (ação popular).

Bem, fazia eu parte da "célula" do partido da UFRGS, éramos um grupo de amigos de várias faculdades. De vez em quando, havia cursos, até com o Leandro Konder. Gente fina. Havia treinamentos, eu exercia no quadro a função de Agit-Prop, isto é o seguinte: os americanos estão usando muito essa função no oriente. Largam um cara orientado pela CIA para fazer "movimento" onde haja alguma rusga. Eu faço isso até hoje no Banco onde tiro dinheiro, com meus colegas velhos. Muito divertido.

Bem, como se faz: Por exemplo, um cara ou dois se revoltam com o preço das Barcas, daí estou eu fina e bela no meio, armo o maior barraco, junto um monte de gente e saio fina e bela falando baixinho, bancando a chique que não gosta de turbulência. Depois, saio de taxi, dando gargalhadas. É bom para o fígado. Os americanos da CIA estão fazendo isso em todo oriente para mudar os títeres de suas colônias petrolíferas.

Voltando a abril de 1964. Recebo um carta do exército me convocando para um IPM (inquérito policial militar), tal dia e tal hora, com 3 Generais e 3 professores, em alguma sala da Faculdade de Medicina. Havia a possibilidade de expulsão. Havia dedos duro na Faculdade e no grupo de análise. Foi muito chato. Cheguei linda, bela, alta e loira na hora marcada. Estavam os "heróis" sentados quando entrei na sala. A sétima cadeira na ponta da mesa estava me esperando.

EU- Bom dia Senhores. Recebi uma carta.

GENERAL 1-Pode sentar aí na minha frente (na outra ponta da mesa). Os Professores me olharam com pena, gostavam de mim. Sentei e disse: Bem General, estou à sua disposição.

 GENERAL 2- Há uma série de acusações contra a Senhora...

EU- Sim, General...

GENERAL 1- A Senhora participou de uma reunião com o Amaral. (O Amaral era meu amigo e era do grupo)

EU- General, eu fui ao meu Dentista que trabalha em uma sala ao lado da casa do Amaral. O Senhor tem razão, devo ter sido vista por lá.

GENERAL 3- A Senhora tem sido vista em companhia do K (amigo meu conhecido como comunista e que agora virou a casaca).

EU- Com certeza General, eu saio com todos os meus colegas, o Senhor não deve saber, mas aqui na faculdade são mais de 550 homens e 50 mulheres. Os meninos me adoram. Vou até para o meio da Rua da Praia com eles, eu saio até com o fulano (quem me dedurou).

GENERAL 3- Mas a Senhora foi vista, numa sala onde o Leandro Konder dava um curso, à noite.

EU- Quem é este Senhor? Curso de que? Não conheço. (Cá entre nós, os Generais sabiam da vida de todo mundo desde que entramos na faculdade, o SNI nasceu bem antes do que a gente imagina).

GENERAL3-Leandro Konder é um comunista.

EU- Ah, bem. Mas o que faria eu num curso de Comunismo, me parece que isto é Filosofia. Eu trabalho com loucos, General, a noite toda, todas as noites. Eu pago meus livros.

GENERAL 1- Aliás, a Senhora foi vista na Livraria Vitória, na Praça da Alfândega, que é onde os comunistas compra livros. Sabiam de tudo!! Os professore sérios. A Livraria deve existir até hoje, especializada em Marxismo e Leninismo.

EU- Fui sim, tinha lá um livro muito bom de Medicina Chinesa, comprei. Se quiser lhe conto, o que fazem lá na China com os loucos. Plantou arroz vai comer, não plantou, não come. Louco ou não, dane-se. (ele riu). Achei-os duros, mas acho que eles tem uma certa razão. No Hospício onde trabalho, tem terapia ocupacional, sem trabalho, ninguém se cura de loucura. Começaram a bufar. Realmente como se aprende coisas em Hospício bom.

GENERAL 1- (de saco cheio) E a Senhora foi vista no bonde com um jornal do Partido Comunista de baixo do braço.

EU-É possível, eu leio tudo. Noite passada, eu li todo Jubiabá, do Jorge Amado...

GENERAL 2- COMO??? Outro comunista?

EU- O Jorge Amado é comunista? Não sabia, gosto muito dele e do Graciliano Ramos também.

GENERAL 1- OUTRO COMUNISTA??

EU- Meu Senhor, o que posso lhe dizer? Leio Mário Quintana, Gogol, tudo o que cair na minha mão. Passo a noite acordada e só o Correio do Povo não dá, é muito ruim. Até leio os romances franceses, russos, para não dormir. Agora o Senhor me diz que os brasileiros que leio são comunistas? A Cachorra Baleia também? Me desculpe general, mas estamos aqui há horas e o Senhor ainda não me disse do que estou sendo acusada (eu ria por dentro, pois sabia onde pegá-los). Aquela clínica Pinel era ótima mesmo, pois lá me ensinaram psiquiatria, psicanálise e como lidar com os verdadeiros perseguidores de fora. Silêncio.

GENERAL 3- A Senhora é acusada de tentar derrubar o Governo João Goulart.

EU- Agora eu estou aliviada, General. Eu estava almoçando na reitoria com meu amigo Sul Brasil (era chamado assim), no dia primeiro de abril, quando um colega chegou... Daí, o general se levantou da cadeira e aos berros, batendo na mesa dizia: Não é primeiro de abril é 31 de março!!!

EU (calmamente)- General, o que aconteceu afinal?

GENERAL 3- Foi 31 de março, derrubamos o Governo João Goulart. Estava furioso, sentou. E eu pensando, " Viva o DR Freud".

EU- Geneeeeraalllll, o Senhor está me atribuindo a culpa de um ato que o Senhor e seus amigos cometeram? Não estou entendendo nada. Aliás, não entendo nada de política, mas o Senhor me assustou e me acusou de algo que o Senhor e seus amigos fizeram. Não é justo. (ria por dentro, pois sabia que o calo era o dia primeiro de abril).

GENERAL 1- A Senhora pode ir embora!!

EU- Então, estou livre?

GENERAL 1- Sim, está. (Levantei e saí da sala). PS: Sul Brasil- Nós estávamos mesmo almoçando na Reitoria no dia primeiro de abril de 1964, quando alguém do PCB chegou aos berros dizendo que: Nós tínhamos dado um golpe. Depois, ficamos muito frustrados com a real notícia de que os militares é que tinham dado o Golpe, sob o nome de Revolução Redentora. A gente tinha trabalhado, batalhado e estudado muito com Leandro Konder. A partir daí, é outra história, já que aqui no Rio para onde fugi, ELES me encontraram. Bem, são outras várias histórias, que aos


Publicado originalmente em: 14/06/2012



AINDA  OS  SACOS (Plásticos)

-Manhã: Marcela, preciso que compres sacos plásticos para a casa.

 - Como?

- Tentei Marcela.

1. Joguei o lixo da cozinha num buraco que fiz no quintal. Os cachorros, foram lá procurando um osso, só pode ser e espalharam tudo. Vou ter que tapar tudo de novo.

 Ecologistas, o que faço com os cachorros? Mato-os? Solto-os?

2. O papel higiênico – fiz uma fogueira lá fora e ao ver fumaça os vizinhos ameaçaram chamar os bombeiros. Dou-lhes razão. Nesse tempo não se pode fazer fogueira.

3. Ecologistas - que faço com o papel higiênico? Posso recicla-lo, usando vários metros cúbicos de agua, lavando ou faço um outro buraco no quintal para que ele vire uma merda geral? Ainda tenho os cachorros.

4. Compro sacos chineses lindos de morrer que um dia vou emoldurar, no Zona Sul (supermercado). Cabem nele, duas batatas, 1 cebola, 1 pedaço de queijo, 8 rolos de papel higiênico. Não é por nada, mas eu precisava de mais 25 itens. E agora? Ecologistas me digam, por favor, qual foi o “contrato” que vocês fizeram com os donos de supermercados e os fabricantes de sacos plásticos? Quero entrar nesta boca.


Publicado originalmente em: 06/06/2012



O SUS   (Sistema Único de Saúde)

Estou no sábado pegando dinheiro no banco do brasil. Olho ao meu lado e está um senhor sentado, pálido.  Paro tudo e pergunto-lhe se está se sentindo mal. Diz que sim. Que gostaria de vomitar. Graças a não sei quem, o BB colocou finalmente uma lixeira, queixa minha antiga, na minha agencia. Enfim, pego a lixeira e ele só não vomita a alma. Comento com ele a quantidade de comida. Ele me diz que foi o Café da manhã. Uns dois quilos. Para mim é o café da manhã de um mês. O “velhinho”, como eu, é magro. Pergunto se está melhor e se está sentindo uma dor no peito. Ele me diz que não consegue respirar bem. Não sente dor. Pede para deitar no chão. O menino que está no BB me segue. Apareceu aquele suor frio, batimento cardíaco não se pegava mais. Peço para o menino me ajudar a ressuscitá-lo, pois velha, tenho pouca força na mão. Ressuscita.

“O senhor tem telefone de sua família ou amigos?” Diz: “Não. E não adianta me levar para casa, pois não tem ninguém lá”. “E sua mulher?” “Está na missa” Precavida, penso eu. Passados dez minutos e o Samu chamado pelo garoto do Banco do Brasil. Pergunto se ele tem plano de saúde. Junta um monte de transeuntes, mulheres, pois o banco tem vidro para o lado da rua. E quem passa olha a cena e entra. Aí dei uma geral. O SAMU quer o Plano de Saúde. Vasculhamos seus bolsos. Ele tem dinheiro, o Ourocard e uma carteira de Marinha. Danou-se. SAMU diz então – “Tem que ser levado para o Marcilio Dias”. Você está no Jardim de Alá, Zona Sul, com uma pessoa morrendo e o Samu quer que se vá ao Marcilio Dias. Você sabe onde é o Marcílio Dias? - “Não.” - “Nem eu”. É um Hospital de Marinha, no outro lado do mundo. Enquanto isto eu e o menino ressuscitamos (por quatro vezes), o senhor. Ele falava comigo. Já tinha umas dez mulheres ao meu redor. Dei um berro, “saiam que ele precisa respirar e já é casado”. Como vomitou peço a uma cabelereira vizinha se pode me trazer água. Ela traz. Entra então (meia bunda na porta) uma senhora e me grita. “Ele não pode tomar água”. Eu digo: “eu sei, sou médica”. Ela: “e eu sou dentista”. Eu: “A senhora quer ver os dentes dele ou quer ajudar?” Ela: “meu marido é médico” Eu: “ótimo”. Chame-o para vir ajudar.

O paciente deitado. Peço para um homem parrudo do carro entregador de dinheiro para fazer uma ressuscitação melhor. Já disse, sou velha, sem força. Resposta: “sou do carro forte e tenho que cuidar do dinheiro”. Eu mereço ouvir isto. Peço ao menino fazer outra força e o homem continua falando. Uma mocinha berra que também é médica. Como os pacientes são “casos” para alguns colegas meus e eu que estava esperando o SAMU há quarenta minutos e tinha que trabalhar e NÃO PODIA nem eu nem ninguém leva-lo ao Miguel Couto, resolvi passar o “caso para a colega”. Passei e fui embora. Assisti da janela da casa onde fui ver outro paciente, quando o Samu chegou. Exatamente 60 minutos depois. Não há enfartão que aguente. Falei com o menino do BB que se por acaso não morresse, pela falta de oxigênio, ele viria “chamar urubu de meu louro” . E falei alto: “que morte bonita”. Grita uma mulher gordinha. “Como uma médica fala em morte?” Respondo: “é a que eu queria para mim, só que na minha cama e não no meio de dinheiro e gente estranha”. Ela: “que absurdo uma médica falar em morte”. Digo: “ A sra. queria que eu falasse em dentes?” “ A dentista já foi embora”. “A sra. quer morrer de câncer?” Saia de perto, ele tem de respirar, se é que ainda precisa. “como?, tá me botando um câncer?” Eu me assustei. Havia mais de dez mulheres, um perigo, mais de uma é um motim. Achei melhor tirar meu time de campo. Triste, morrer num banco, no chão, cercado de histéricas. O Samu já estaria chegando e já não era necessária, deixei o caso para a colega. Fui embora. Lembrei do Lula que diz que a gente tem que se tratar no SUS. Não sei porque ele não fez isto mas teria sido melhor, pois um dias depois vi no jornal o convite do 7º dia do enterro do dito senhor. Só queria dizer à esposa dele que ele já deve ter chegado morto no Miguel Couto mas a morte dele deve ter sido boa, cercado de mulheres e de cuidado. Lembre-se não saia para a rua sem o numero de telefone de quem pode ser chamado para não morrer no meio de estranhos e no chão. Deve ser chato. PS: a “colega”, não tomou conta do “caso” quando sai. Que feio, mocinha orgulhosa, pode acontecer com seu pai. Falando em SUS, o meu querido Dr. Jatene que enfartou, que sorte, dentro de um hospital, e não no Banco do Brasil, é um abençoado. Tomara que seja Ministro da Saúde de novo.

Publicado originalmente em: 01/06/2012



DOPS  1969/70

Vim correndo ao Rio em 1968, dezembro, no dia seguinte de minha pós-graduação em psiquiatria, na Clínica Pinel – Porto Alegre, RS. A situação política para mim não estava boa por lá e havia um professor de Psiquiatria, que teve que me dar a mais alta nota de nossa turma que me chamava de “esquizofrênica crônica, sem cura”. Logo, eu não teria pacientes em Porto Alegre. Vim para o Rio e caí do século XX da psiquiatria para o século XVII onde ainda estamos pelo que vejo. Dei banho. Mas o DOPS me acompanhou. Fui chamada para falar com o famoso Dr. Delegado do DOPS, com quem acho que todas as pessoas inteligentes de minha geração carioca tiveram que falar. Comigo foi só (?) tortura moral. Um amigo meu, já morto, foi tortura pra valer. Eu tinha que ir toda a semana à Rua do Riachuelo para responder a perguntas cretinas como:

Dr.: a Sra. pertence ao PCB?

Eu: nem sei o que isto. Sou psiquiatra.

Dr.: quem morou no seu apartamento antes da Sra.? (inacreditável!!!)

Eu: O Sr. devia perguntar ao dono do apartamento. Eu não tenho a menor ideia. Acabo de chegar do Rio Grande.

Dr. : eu sei

Eu: O senhor me chamou por que?

Dr.: a Sra. roubou a Casa Dr. Eiras?

Eu: Como?

Dr. É, a Casa Dr. Eiras foi assaltada (mentira, claro) e pergunto se foi a Sra.

Eu: Eu não eu faria isto iria roubar um paciente?

Dr.: a Sra. trafica drogas? (inacreditável!!! Nem tinha entrado na moda o trafico de drogas, meu Deus).

Bem, as perguntas eram deste calibre, durante meses. Lá eu ficava calma. Alta, loira, jovem. Não me botou nem o tradicional facho de luz na cara. Só me assustava com os guardinhas com as metralhadoras de 2º Guerra Mundial. Eu passava por ele, bela e loura e pedia gentilmente para virarem a arma pro outro lado, pois eu tinha medo de armas. Ah. Ah. Quando pichava ruas no Rio Grande do Sul, nunca tive. Vá lá. Um dia ele me convidou para ir vermos o Manicômio Judiciário que foi chefiado depois por um amigo meu que admiro muito, um psicanalista. Disse-lhe que podíamos marcar uma ida lá, sim, claro (com medo de lá ficar).
 “Depois agente combina” disse eu.

Dr.: “E depois a gente pode almoçar juntos”. (quem, pensei eu?) - Claro doutor. - Gostei muito de você, não precisa me chamar de doutor.

De repente ouço um grito lá de dentro um homem: “me soltem que sou fóbico”, repetidas vezes. -Isto foi uns dias depois do “suicídio” do Wladimir Herzog, em S. Paulo, na cadeia. –

Doutor, já que vamos ser amigos, quero ajuda-lo numa coisa, posso? -- Claro, minha filha. (penso, minha filha é o cacete) - o Sr. está ouvindo este cara gritando? -Estou. - Pois é. Fóbico é o tipo de paciente que mais se suicida. (há, há, há). Se eu fosse o senhor soltava ele. O senhor. está vendo que o comandante do 2º Exercito está passando não é? Como explicar um suicídio na cadeia? - Meu Deus, isto é verdade? - Com certeza. Solta o rapaz. Foi o que ele fez pelo que me contou na semana seguinte quando me deu seu cartão de visitas, em agradecimento pela sugestão. - “Qualquer coisa me telefona”. - Obrigada. Ponho na carteira o cartão. Nunca mais me chamou. Em compensação, esta é outra história, um dia, um policial me segurou no transito, não me lembro porque ou melhor lembro mas como disse é outra história. “tirei o cartão do delegado e mostrei. - o senhor conhece esse delegado ? Tempos horríveis, quem não conhecia? “claro, claro”. Digo-lhe – “sou amante dele”. - “Pode ir embora madame, me desculpa”. Lá fui no meu Karmann Ghia azul. Mal sabia que o delegado já tinha colocado um tal de Ronaldo no meu pé. Um “estudante” de “Psicologia da Puc”. Safado, elemento da Cia. Esta é outra estória engraçada.


Publicado originalmente em: 30/05/2012



A "MORTE" NA PRAIA

Estou em Muriqui, RJ, há mais ou menos 40 anos. Tinha um barquinho. Um menino chega gritando a seu pai “papai, tem uma moça passando mal na praia”. Papai diz que não pode atender. Eu digo que sou médica e o menino me leva.

O menino fica petrificado e eu pensativa. Ele vibra. “olha papai, a moça vai atender a “morta”. Feliz, me levou até uma moça de uns vinte anos deitada, como diria Vinicius de Moraes em seu poema Balada da Moça do Miramar: “... Nua, morta, deslumbrada / Uma moça mira o mar”. Bonito né, quando se sabe pelo cheiro que é apenas um transe histérico.

Tinha aprendido que uma tapona tira a pessoa do transe, mas se eu fizesse isto, ia apanhar de muita gente. Usando o estilo histérico mandei todo mundo, família, amigos, curiosos a sair pois ela precisava respirar. Que nada, não queria que ouvissem o que eu diria para tirá-la do “transe”.

Ajoelhei do lado direito dela, cheguei perto do ouvido e disse baixinho “tu estás tendo uma crise, mas tua família já chamou o camburão da polícia para te levar para o IML, lá vão te cortar toda com o bisturi e aí acabar. “Vão te enterrar”.

A moça deu um pulo que eu não sabia ser possível, de deitada passou a ficar ereta de pé, num segundo. Palmas gerais. O menino vibrava e gritava “a moça ressuscitou a outra”. O pai não gostou. A família se junta e diz o que eu fizera para ressuscitá-la. Eu disse que isto era entre nós, dei-lhe um Valium 10 mg e sugeri que ela procurasse um bom pai ou mãe de Santo, para se vestir de branco. Ficaria curada. “De que?” “Dos transes. Tem que baixar o santo dela, toda a semana. “Mas como a Senhora que é médica manda para o candomblé? “É porque os médicos da Terra levam 20 anos para curar isto, se é que conseguem. Candomblé cura logo”.

É verdade se não fossem os pais e mães de santo capazes de ler o pensamento como um bom psicanalista deveria fazer os psiquiatras não saberiam o que fazer com os histéricos. A não ser que como quando cheguei de Porto Alegre para trabalhar no IPASE e na Biometria Médica da Guanabara, chamassem os histéricos da Zona Sul de Epiléticos e os médicos davam licença médica e os pobre da Zona Norte, eram histéricos mesmo e tinham que trabalhar. O histérico é muito maltratado pela classe médica em geral. Mas temos que lembrar que não fosse a relação de uma histérica com Freud, não teríamos a Psicanálise.

Publicado originalmente em: 30/05/2012



Graciliano está vivo!!!

Pessoal,

Desculpem o atraso das noticias porque cheguei muito bolada com a Morte do Graciliano.

 Cheguei em São Paulo feliz, na 6ª feira passada com o livro “Memorias do Cárcere”, do Graciliano Ramos , e com sua assinatura psicografada. Me disseram lá que ele já tinha morrido. (Rá, rá, rá). Baixou o Santo dele em minha homenagem com a seguinte frase “Para minha leitora querida um grande abraço do Além”. Graciliano.

Os: Feira do Livro de Ribeirão Preto, a 2º do Brasil e a 4º no Mundo Inteiro, em vendagem. Não é pouca porcaria, não.

Publicado originalmente em: 21/05/2012



 - SUPERMERCADO II

Volto ao supermercado na semana seguinte. Este é pequeno e resolvi que neste dia eu ia enlouquecer alguém. Não é sempre que se pode ser fina. Chega uma senhora e me diz:

— Hoje é meu aniversário.

— Parabéns. Seja muito feliz. Com licença, tenho pressa para fazer minhas compras.

Sábado à tarde, calor cansaço. Quero a minha cama e ver meu gato, que já deveria ter tomado vinte banhos. Eu tenho um gato louco. É doido por banho. E daí, meu senhor? Qual é o problema? Loucura é só para gente grande? Não, gato tem direito a ser louco como nós e este, me tira da cama de hora em hora, à noite, para tomar banho. Eu é que sou louca? Não sei.

Também não me dou ao trabalho de saber se sou ou não. Sou feliz, digo o que preciso, faço o que quero. Pago minha luz, compro anéis. Ninguém tem nada a ver com isto. Voltando: achou que eu tenho fuga de ideias, né? É ruim, é... Tenho, não! Estou de volta já ao supermercado onde a senhora aniversariante me seguiu e então pensei qual Garfield: hoje vou enlouquecer alguém. E tirei uma hora da minha vida para, sadicamente, enlouquecer duas pessoas. A senhora me aguarda e diz:

— Eu queria comemorar com um vinho bom, o Chateauneuf du Pape.

— Ótimo, digo eu. Ela segue:

— Mas tem uma garrafa com o rótulo dourado e uma com o rótulo prateado. A senhora conhece?

— Conheço. Quando eu era rica, tomava só este vinho, agora tomo Miolo.

— A senhora já foi rica?

— Fui!

— O que aconteceu?

— Uma sócia me roubou.

— Credo!

— É isto acontece com pessoas honestas.

— Mas vamos voltar ao vinho: a senhora se lembra se tomava do rótulo dourado ou prateado?

 — Não me lembro, faz muitos anos isto.

— Então vou chamar o enólogo da casa. "Tá certo" penso eu. Imagine se uma filial tão pequena tem enólogo de plantão! E para espanto meu, tinha.

— O senhor sabe qual é o melhor dos dois, o dourado ou o prateado? — isto depois de contar toda a estória. O enólogo:

— Os dois são iguais. Eu, de sacanagem:

— Mas os engarrafadores são diferentes...

— Não tem problema, diz o enólogo.

— Não sei meu senhor, digo eu. Eu nasci num lugar de vinho, Garibaldi, o senhor conhece?

— Não.

— Carlos Barbosa, que tem um time de futsal, já ouviu falar?

— Ah, conheço! Diz o enólogo.

— Pois bem, continuei: Eu, em criança, amassava junto com os garotos a uva com os pés. Havia uma fantasia de que pé de criança é limpo. É mentira. No interior, a gente andava descalço, portanto os pés estavam sujos. Por isso falo do engarrafador. O enólogo queria me engolir. Pensei que estava perfeito o meu dia. Estava enlouquecendo dois ao mesmo tempo:

— Acho que o engarrafador é importante porque depois de amassarmos a uva (cá para nós, era só para uso da casa, primeiro vinho, suco de uva, o enólogo não aprendeu isto, tem só mais ou menos 30 anos e cara de urbano), ela ia para os tonéis num galpão ao qual todo mundo tinha acesso. Volto-me para a senhora e digo:

— Estou me lembrando... Se bem me conheço, eu tomava o vinho de rótulo dourado. Sabe por quê? Eu não teria tomado de rótulo prateado pois acho prata coisa de pobre. É, sim. Tenho quase certeza.

— Então vou levar o de rótulo dourado.

— Isto mesmo, digo eu.

— Mas é mais caro, diz ela.

— Então viu, né? (o enólogo queria me matar), se é mais caro é porque é melhor. Leve, sim.

 — Vou pensar. R$ 126,00 é muito dinheiro para arriscar.

— Bobagem, a senhora não vai fazer 65 anos de novo. (isto é pura maldade, é?) E nem sabe se vai ter dinheiro no ano que vem.

— É, nem sei se vou estar viva, né?

— Isto aí. Senti-me mal com meu sadismo, vou ser sincera. Vai ser FDP assim no inferno! O que diria o senhor Freud vendo seus ensinamentos usados desta maneira! Volta a senhora e me diz:

— Eu vou sair para pensar melhor. Saiu. Fui buscá-la. Eu consegui, ah ah ah! Mas não consegui deixá-la sair. Fui atrás dela e lhe disse:

— Sabe de uma coisa? Se eu fosse a senhora, comprava queijo francês A Sra. gosta dos queijos fedorentos?

— Gosto.

— Então compre R$ 100,00 reais de queijo e um miolo. Pense só em si mesma, nos dias bons que já teve e noutros que ainda virão, com certeza. Ela foi, pegou o Miolo e o queijo, me agradeceu, teve muito prazer em me conhecer. E foi.

Um mês depois, o enólogo da casa dá de cara comigo e diz:

— A senhora, hein!

Moral da História: Eu também sei ser lacaniana, só que ajudo a pessoa a juntar seus cacos, antes de abandoná-las.

Publicado originalmente em: 13/05/2012



CATARATA VULGO CACHOEIRA

Uma cachoeira pode se subdividir no mínimo em quinhentos pequenos rios. Porque a gente não dá "alta" para o Carlinhos, a gente deixa de pagar o salario mínimo para ele, cama, comida, TV, enfim, lazer, todas as mordomias. A gente dá "alta" e ele devolve os cents que ele foi tomando de nós aos poucos e diz os nomes dos riozinhos... Na outra reencadernação serei poeta. Me aguardem.

Publicado originalmente em: 17/04/2012



AS MENTIRAS DE NOSSO BRASIL

Cuidado com as mentiras. Mostraram na Globo News todas as armas não letais produzidas atualmente no Brasil. entre elas está uma pistola que dispara eletricidade. Queria dizer que como psiquiatra vi muitos doentes levando eletrochoque e tendo parada cardíaca e morrendo com a mesma voltagem e amperagem citada. Como os malandros vão ter esta arma antes que nossa policia e antes de nós, aviso que se alguém apontar uma arma dessa para vocês fiquem quietas pois ela é letal, senão estaria à venda para a população em geral. Eu já não aguento mais mentirasssss.

Mantega, bota os juros do Banco do Brasil a 5%, quero ver se tu és homem para isso!!!!!! Meu mau humor passou... obrigado cuidem-se por favor do revolver vermelho......

ALGEMAS

Continuando... ADOREI AS ALGEMAS DOS PÉS. Espero que comprem umas seiscentas lá para o Planalto.

Publicado originalmente em: 17/04/2012



NOTICIAS DE NOSSO BRASIL

As 16hs tive um tempinho e ouvi na Globo News, no canal 40, acho, não tenho certeza absoluta, pois estava com a metade do rosto que aparecia o Cid Moreira. Me fez bem ver a Justiça de Jesus. Porque quando ele açulado por um senhor de não muito bom caráter, ou um colega meu invejoso colocou-me numa situação como se eu fosse uma assassina e fiquei muitos anos sem poder mostrar a cara a ninguém de vergonha. A Justiça de Jesus, se é que era ele foi super legal porque ele também não pode mostrar a cara. Tive muito prazer e beijos a todos meus amigos.

Publicado originalmente em: 17/04/2012



1 – SUPERMERCADO

Entro no supermercado e um homem de quase dois metros de altura está passando por mim. Eu encosto nele por acaso, com a cesta. Peço desculpas. Ele empomba e diz aos berros que eu devo saber quem ele é, pois já trabalhou na Globo. Um preto lindo. E louco. Berro com ele, supermercado cheio, Ipanema, fim de tarde, sol, domingo, todo o subúrbio lá dentro. Tudo bem. Aponto-lhe o dedo e digo: "Não tenho medo de macho e muito menos de louco. E tem mais: olha pro meu tamanho e vê se consegue alguma coisa". O louco é louco, mas não é burro e pensa, porque o fiz pensar, que sou maior que ele. Encolheu-se de medo. Mercado quieto, gerente sumido, todo mundo quieto, pois de repente as pessoas "normais" viram que estavam diante de dois loucos, não só um. O homem me segue nas compras e continuo a ameaçá-los aos berros que vou voar no pescoço dele. Ele se afasta. Faço minhas compras e me dirijo ao caixa dos velhos. Uma fila imensa de jovens. E um velho esperando, esperando, esperando... Enfim, o que eu chamo de brasileiro típico.

Berro para a senhora do caixa perguntando se aquela é a fila dos velhos dizendo: "A única coisa boa que consegui com a velhice é não entrar em filas longas de supermercado". A fila se escora toda na parede. Olho para o fim e grito: tem um aleijado aí? Não. Uma gestante? Não. Então vamos nós. A senhora do caixa diz baixinho: "a senhora pode passar". E tinha O BRASILEIRO na minha frente que estava mudo e quieto e se assustou quando eu mansamente lhe disse: "O senhor está aqui há mais tempo, pode passar". Ele saiu correndo, foi para o caixa, direto. Chega a minha vez. Peço desculpa à senhora do caixa (talvez 50 anos) e ela me pede desculpas por não ter tido coragem de mandar as pessoas embora. Digo-lhe que ela, se fizesse o que fiz, perderia o emprego. Ela consente e diz: "A senhora pensou no meu emprego?" "Claro, pensei nisto. Eu não quero prejudicar ninguém." "Muito obrigada", diz ela. E arruma com o maior carinho meus sacos de compras. Saí dando gargalhadas comigo mesma. E vou tomar um táxi. Aproxima-se um garoto que pensei ser de algum ponto de táxi e me diz: "A senhora quer um táxi?" Digo que sim. Ele levanta uma flanelinha e sai. Berro: "Pode parar que eu não sou aleijada! "Tenho horror de flanelinha”. Tenho que andar várias quadras da rua para poder parar de rir com todos estes acontecimentos. Diverti-me à beça. Adoro supermercados e o medo que as pessoas têm dos loucos.

Moral da história: a loucura na possibilidade de nosso entendimento pode ser muito engraçada. Só não o é por falta de hospícios bons que os engraçadinhos que foram meus alunos acham não devam existir e porque um italiano qualquer cujo nome não citarei] resolveu que não havia necessidade de cuidar de loucos. As famílias é que têm de arcar com os problemas da loucura. Para o câncer, há hospitais. Loucura? F#***! A MORAL É IMORAL, INDECENTE E DECRÉPITA.

Publicado originalmente em: 25/03/2012



Família unida jamais será vencida

Acho que a saída "precoce" do Ricardo Teixeira foi muito triste. Tremenda "boca" que vem de sogro para genro, família legal né? O sogro começo como presidente do IBC na ditadura militar. Muito boa "boca". 

Depois, a CBF. Herdada legalmente pelo genro. Genial. Gosto de famílias assim, um passa a "boca" para o outro. Será que o Ricardo Teixeira deu uma colher de chá para o amigo Marim, antes que este morra?

Que amizade bonita. Aliás, o Marim já avisou que vai dar chances para outros diretores tirarem uma lasquinha. Afinal, vêm aí a Copa e as Olimpíadas. Mas segundo a minha paranoia, o grosso do dinheiro já entrou. Em todo o caso, a gente não sabe nada mesmo sobre famílias e amigos generosos. Eu nunca tive isto. Por isso dou meus parabéns a esta linda e harmoniosa união, irmandade e amizade. Aliás, como paranoica que sou, pergunto: Quanto mesmo é que nós babacas, brasileiros pagamos à FIFA e ao COI para recebermos estes dois grandiosos eventos aqui? Afinal, tudo tem seu preço. Eu trabalho e cobro, tenho um preço, ainda não é R$1,99, mas sou doida para saber quanto paguei para ter a Copa e a Olimpíada no meu quintal.

PS: Se alguém souber, por favor, me diga, para que eu não pense que foram só alguns milhões. Detesto pobreza...


Publicado originalmente em: 13/03/2012



O Talibã

Os nossos irmãos do norte não tem mesmo um mínimo de moral, matar deste jeito, é o fim da picada. Olha que ainda passam por revisões psicológicas periódicas, portanto não estão com doenças mentais. O que é isto? O soldado na linha de batalha que mata é tão criminoso quanto a nação que o mandou para o Afeganistão. Calma, nós não somos burros. Entendo se os afegãs caírem de porrada em cima dos norte-americanos. Aliás, me sentirei resgatada, pois em 1968 aqui no Rio, esteve dentro do meu trabalho um suposto estudante de Psicologia, estagiando ao meu lado. Tinha sido treinado pela CIA. Chique não??? Para mim, era muito chato, pois andava na rua na paranoia, olhando para todos os lados, o tempo todo, até meu pescoço doer. Sou anti-americanista desde meus 7 anos quando eles invadiram a Coréia. Afinal, Hillary Clinton, você que entregou seu marido de graça para uma guria, me diz uma coisa: Você agora quer se vingar?

Você sabe tanto quanto eu, que o povo mais estuprador em todo mundo é esta mistura horrenda de Inglês, Irlandês e os negros que vocês maltrataram vergonhosamente até os anos 50 do século passado (até hoje). Shame!! E o Obama, dentro de seu carrão pede desculpas.

Isto tem desculpa, cara? Se matarem a Michelle para quem vais cantar para ganhar votos? Você, Obama é igual a todos os outros. Todos sem pai, os presidentes americanos do norte. Vocês realmente merecem um Chavez como uma pedra nos sapatos de vocês.

GO HOME!!

Publicado originalmente em: 12/03/2012



A AMBIENTALISTA

Marcela, a ambientalista. Marcela é a minha única e estimada filha. Sou a “pãe” dela isto, é, pai e mãe. Coisas da vida.

Como acho que no mundo de 6 bilhões de pessoas só 500 mil pensam seu próprio pensamento, e eu acho que sou uma delas faço minha crítica às contradições. Pensar dói. Alguém já disse isto.

Marcela, a ambientalista, leva meia hora para tomar banho no chuveiro elétrico. Dois foras não é? Água e eletricidade. Eu acho. Ela não. Digo que quando começar a pagar para a Nestlé ou qualquer outro grupo estrangeiro que engarrafar nossa água com rótulo, por exemplo, de Petrópolis, ela tomará banho de caneca a 20 reais, no mínimo. Bem, aí já não estarei neste planeta. Meu sonho, aliás, é ficar deslizando como a mãe de S. Pedro no espaço sideral. Como? Você não sabe o que aconteceu com a mãe de S. Pedro? Vou parar tudo e contar.

A mãe de S. Pedro, segundo dizem os boateiros de plantão, quando morreu foi colocada num caixão de luxo, forrado de roxo e lantejoulas, e mandada para o céu. Claro, era mãe de S. Pedro! Lá chegando lhe perguntaram que boa ação tinha praticado na vida para angariar um lugar ao lado direito de deus-pai.

Ela disse: “tive um filho que virou santo e depois eu virei prostituta”.

Aí é que entra o problema. O porteiro do céu ficou com uma dupla mensagem – mãe de São Pedro e Prostituta! Que fazer? Aconselhou-se com amigos e querubins. Juntaram-se 13 (numero de sorte do Zagallo) e ela ficou achando que iria ser sorte para ela também. Não foi.

Veredicto – “prostituta não entra no céu”. E mandaram-na “justificadamente” para o inferno onde ela achava que iria encontrar os colarinhos brancos, cuecas com dólar, enfim figurinhas já conhecidas dela. “Menos mal, fico longe dos beatos, pensou ela, são muito chatos.”

Deu azar! Quem estava na portaria do Inferno? “Ele” o próprio ex-querubim, que pensou “agora vou dar meu troco” e deu, sem perguntar a ninguém, nada democrata (aliás, democracia existe?).

“Aqui, mãe de S. Pedro não entra”.

E até agora, está no espaço sideral, onde também narcísicamente quero ficar, pois é um lugar de liberdade total até penso ser encontrada num asteroide que me quebra o nariz e a alma. Mas tudo bem, isto faz parte da “vida X morte”. Eu que não tenho tantos méritos, pois não tive filho santo como já contei, a filha é apenas uma ambientalista, devendo levar uma traulitada do asteroide PQP 24, de cara. E só cuidei de gente. Só entrou até agora no meu consultório gente maravilhosa, portanto eu tenho muitas alegrias e poucos sofrimentos. Com certeza levarei uma porrada cremérgica de cara. Tudo bem. Eu aguento. Já aguentei viva!!

Mas, voltando à ambientalista.

O GOVERNO decretou que não pode mais haver sacos plásticos. Esta coisa, a gente (eu e o mundo grande e agora, no Brasil), usa para colocar lixo e a gente pensa que é gratuita. A ambientalista pensa também que é grátis. Comprou umas 50 bolsas de pano, cada uma mais linda que a outra. Eu mesma trouxe da Índia algumas.

Um dia ela sai para o supermercado com uma bolsa de pano, que pagou uma nota e me pergunta, “o que é preciso para a casa?”

Eu respondo calmamente: “sacos plásticos para o lixo”.

E ela comprou. Virou “brasileira”.

Publicado originalmente em: 20/02/2012



OBESIDADE  E  DEPRESSÃO

Escrevo sobre obesidade quando na verdade deveria escrever sobre varias substancias chamadas drogas.

Classifico as drogas em licitas e ilícitas. De antemão digo que as ilícitas são mais fáceis de tratar. Por quê? É óbvio. As licitas estão no supermercado. Das licitas, vi na minha vida apenas quatro casos de vicio em água. Um morreu afogado por dentro e sei de uma outra que brevemente vai morrer por absoluto desinteresse da família. E cá entre nós, poucos médicos ou nenhum que encontrei ate agora mostrando um trabalho em Congressos no qual fale como se pode morrer por só tomar agua. Também não apresentei.

Os anoréticos não são levados em conta neste caso a que me refiro. Eu digo de pessoas que tomam de 10 a 20 litros de agua (somente agua) por dia. São casos raros mas como venho observando há 52 anos no trabalho psiquiátrico, pude ate agora ver 4 casos, portanto não se torna estatisticamente importante.

Voltando às drogas licitas – comida, fumo, álcool, medicamentos, as mais comuns, são de difícil tratamento.  Requerem uma grande autodeterminação do paciente que tem uma personalidade dependente (antiga classificação norte americana - “passivo dependente”), que foi deixada de lado e trocada por drogadição. Aquela tinha mais sentido. Quem é “dependente” pode depender de qualquer coisa – ervilha, uísque, chocolate, qualquer coisa vendável em supermercado ou farmácia. No caso só vou falar da obesidade que existe no mundo ocidental e cristão em que se desafia as pessoas a serem altas e magras sob pena de serem olhadas com nojo.

Obesidade sempre foi uma doença. Lembro que ao procurar um analista aqui no Rio de Janeiro, (para me tratar), estive com vários e quando cheguei à Dra. Marialzira Perestrello vi que era magra-gorda normal e lhe perguntei se fumava. Ela disse “não”. Disse-lhe que queria ficar com ela. Não faria analise com alguém dependente de comida ou fumo. Logo vamos deixar bem claro, o uso das drogas é apenas um sintoma de uma grave depressão. Você já viu alguém deixar de fumar e engordar loucamente?

A ansiedade que leva o dependente a procurar sua salvação da angustia está sempre numa coisa “fora de si mesmo”. Ele se sente uma “porcaria”. Ele não se basta, precisa de uma bengala. Ela procura a satisfação, num prazer que pode leva-lo à morte. Lembro-me de uma paciente obesa que tinha feito 20 anos de psicanálise e que um dia me procurou. A depressão não tinha sido tratada convenientemente. Quando ia comer um pedaço de bolo, o primeiro, não a satisfazia. O segundo também não e quando via tinha comido uma torta inteira e não estava satisfeita. Coisas do superego superexigente. Era uma pessoa extremamente alegre, bem disposta, trabalhava bem. Ninguém diria que estava doente e muito menos deprimida. Ate os meus colegas quem estivera. Pelo que ela me contou suas analises anteriores ninguém nunca lhe perguntou se ela pensava em se matar. A compulsão da comida, doces principalmente, deixa paciente e terapeuta muita vezes burros quanto a entender o mecanismo “vida X morte” que está implicado na dependência X depressão.

Quando vejo o meu amado Schumacher voltar às pistas eu sei o que ele quer. Morrer como Senna. Sei por experiência própria. Na mais profunda depressão eu tive um carro, marca SP2, que andava como o diabo. 

E minha “droga” era a velocidade. Fazia misérias e um dia voltando de Mangaratiba, estrada vazia e boa coloquei 160 km/h no carro. Passou uma fantasia “vou voar, que maravilha!!!!”, em seguida “posso morrer”.  

As duas coisas, prazer e morte, absolutamente juntas. Voar é o máximo. Ícaro fez isto. Mas pode me matar.  Depois julgando calmamente comigo mesma o fato eu comecei a pensar que podia ter estourado um pneu, mil coisas podiam acontecer e eu morrer quando meu intuito consciente era ter o prazer de “voar”. É muito bom. Dificilmente eu dava caronas quando eu ia fazer estas proezas. Então inconscientemente eu já sabia da possibilidade da morte. Como todas as drogas. Mas tinha analise bastante na minha cabeça para ver tudo num “instante” e parar (milionésimo de segundo, que podia ser fatal). Então para mim é fácil saber o que “meu” Schumacher está procurando. Ele e o resto. Podem achar como outros já acharam. Não creio em “acidentes” nesta hora. Uma pessoa que come uma torta de 30 pedaços sabe o que vem depois. Não precisa ser medica. Diabetes, hipertensão.... o problema é que meus colegas “dietistas” que inventam sempre a “dieta do ano” não sabem que deveriam ter ao lado de seu consultório um terapeuta, um PSI. O paciente não precisa comer tanto porque o estomago ficou grande. É o contrario, o estomago ficou grande porque comia muito. E diminuir uma colher de arroz não é fácil. A pessoa precisa de alguém “fora” (de si) que lhe de um motivo e que a satisfaça. Que seja o Terapeuta mesmo, “uma colher de arroz”. Quando escuto de paciente que foi ao “dietista” e vêm com fórmula mágica e dizem “tenho que emagrecer 34 quilos”, eu sugiro ao paciente que esqueça os quilos, e que pense em perder uma grama. Se o paciente conseguir entender e fazer terá como dizia Melanie Klein (Psicanalista), um “momento depressivo”.

Isto é muito difícil para explicar psicanaliticamente, mas vou tentar aportuguesar. Digamos que o ego de uma pessoa, por angústia se divide em mil pedaços como a laranja se divide em gomos.

Daria um exemplo pratico - num milionésimo de segundo os vários gomos soltos de uma laranja se juntariam e formariam de novo uma laranja total. Enfim, é apenas isto o “momento depressivo”. Mas isto é Melanie Klein, não sou como um colega meu, famoso no mundo inteiro, que nunca citou suas fontes teóricas de conhecimento (Freud deve estar se mexendo na tumba). Enfim para os pragmáticos como eu, o individuo que deixa de comer um grão não precisa ser uma colher de arroz, deu um salto qualitativo dentro de seu esquema para o emagrecimento. Por isto eu não diria quilogramas. Quando sugiro caminhadas para os gordos, para começar com dez – vinte metros. É assim que faço comigo. Depois de alguém conseguir isto, ser aplaudido por um Terapeuta que sabe o que isto custa, em matéria de super exigência por parte do paciente, ele passa a ser aplaudido apesar de achar tudo muito pouco diante dos seus quilos. Mas o paciente obeso não pode ficar sozinho nesta caminhada. Precisa de alguém “fora”, o Terapeuta, para lhe dizer que tem capacidade interna (VIDA), de brigar com seus demônios (MORTE), e que está demonstrando poder superá-los. Isto é psicanalise, em português, não em psicanalês. Se o Terapeuta puder do alto do seu orgulho e sem neutralidade, contar uma vivencia sua, pode ajudar mais o paciente a não se sentir um monstro suicida e que por isso tem de comer mais em represália a si mesmo. O Terapeuta tem de ter paciência pelo paciente e com o paciente. (“superego mortal”). Não deve dizer que mude a dieta que faça isto ou aquilo.

Um dia fui ver uma paciente com duas internações por “alcoolismos”, em sua casa. Deparei-me com trinta latas de cerveja, enfileiradas. Sua fama de alcoolista era grande. Ninguém via sua depressão. Eu nunca falei,  sobre o álcool, como se não me tocasse com o numero de latas de cerveja. Algum tempo depois, ela me deixou sozinha no seu quarto. Fui ver se latas estavam vazias. Não. Como eu, ela só toma o primeiro gole. Mas é chamada de alcoolista. Como, da mesma forma, me chamou e escreveu na minha ficha um cardiologista. Ele tinha e que tem um apelido horrível. Se eu não tivesse visto começaria a fazer o que todo mundo faz “não beba tanto”. Enfim, acho que tive uma sorte danada ao poder verificar que havia trinta latas de cerveja quase cheias. O que havia mesmo era depressão, e minha descoberta só me faz mostrar os muitos pontos positivos da paciente e com isto ela vai saindo de sua depressão crônica e começando a gostar de si mesma.

Voltando à obesidade tirei um dia (20 de janeiro) para assistir de manha à noite, televisão. Fiquei pasma com o numero de programas de “como fazer comida”. “como comprar panelas”. Enfim tudo relacionado à comida. Vi filmes com (americanos) obesos mórbidos sendo operados dizendo que tinham emagrecido 120 kg numa semana. Só não mostraram o depois, que a gente pode imaginar. Claro que morreram. Não vi um Psicoterapeuta ao lado do obeso ou do médico operador. Enfim coisas da vida. Se você entende sozinho, tudo bem e fica quieto de preferencia. Se não entende fará parte do grande curral chamado Terra e não sofrerá ao passar por uma caixa de “Bombom Garoto” (só pode ser “Garoto”, meu preferido. Me esqueci do vicio da Bolsa de Valores. E é claro o vicio de Televisão que é algo extremamente deprimente e onde o depressivo senta e engorda vendo e sabendo do mal estar alheio. Isto o satisfaz um pouco. E muitas religiões fazendo milagres fantásticos. E o Procon? Propaganda enganosa??

Hoje acordei e ouvi na televisão a noticia de que enfim, no Rio Grande do Sul começou a funcionar uma comunidade terapêutica rural ( ou entendi mal, na empolgação da noticia?), para tratar de drogados. Insisto, acredito se não for algo politico. Não posso acreditar no que vão fazer em S. Paulo com a “cracolândia”. Isto é que é jogar dinheiro na cueca de alguns !! Na verdade as pessoas politicas que bolam este tipo de “tratamento” estão pensando em si, na futura eleição. Sabem tanto quanto eu que não vai funcionar. Tudo que diz respeito a vicio ou dependência tem que ser muito estudado e não ser feito em meses. Afinal não há para quem “bolou” este sistema de interesse por alguém for de si mesmo.

Vamos voltar à obesidade que nos trouxe aqui, você e eu, para discutirmos como não entrar nela e como sair dela.

Temos que discutir o que há de genético e o que há de social. As vezes a pessoa mesma tem de se virar e se tratar pois não herdou genes para engordar e sim genes para ser deprimida. Como o social entra nisto?

Em 1969 trabalhei na Biometria Médica do Estado da Guanabara. Um dia entrou na minha sala para pedir uma licença medica um senhor magro. Limpo. Sentou à minha frente e disse “Dra. Preciso me afastar de meu trabalho se não vou virar alcoólatra. (naquela época a palavra era esta). Eu perguntei o que já estava na ficha, sua profissão. Ele respondeu “gari”. “ Então o senhor começou a beber quando?” “quando entrei no serviço (não me lembro o nome do lugar) mas agora é Comlurb), o meu chefe, um engenheiro me perguntou se eu bebia. Eu respondi que claro que não. Aí ele me disse – vai a partir de amanhã sim, você não aguenta o cheiro”. Eu, 29 anos, vinda da melhor clinica de pós-graduação do Brasil na época, custei a entender. Mas foi uma boa maneira de poder entender uma outra coisa, ele magérrimo me disse que não precisava comer pois a cachaça tirava a fome. Na época a OMS diz que no “Brasil, Cachaça era alimento”. Continua sendo. Afinal este senhor tinha “uma saúde mental” impressionante, ele entendeu que ele não queria morrer, ele queria trabalhar. Dei-lhe uma licença fora do habitual (3 meses) e pedi readaptação de serviço. Naquela época existiam estas coisas. Uns tempos depois passou lá para me ver, com peso normal (“agora já posso comer”), me agradecendo seu novo trabalho. Enfim, isto é para mostrar que sua vontade de viver era muito maior do que a de ficar doente com o uso da cachaça. Não era do tipo dependente. O dependente de drogas, sejam licitas ou ilícitas, pode ter crises psicóticas ou neuróticas. Tanto numa como na outra pode facilmente tentar ou conseguir se suicidar.

Quando alguém mata um outra pessoa, em surto, como anda acontecendo atualmente e que é muito raro, significa que o paciente mesmo estando drogado mostra a sua parte homicida que normalmente nós não temos, pois loucura é loucura, homicídio é uma coisa que pode vir junto mas é caso judicial. Normalmente os psicóticos não agem, mesmo que pensem eles dizem que “quero matar papai” (por exemplo), mas não matam ninguém, tudo fica nas palavras e no sentimento.

No caso dos dependentes de alimentos como na obesidade, o excesso de comida leva a pessoa a inúmeras doenças como hipertensão,..etc. as quais não existiam em sua 


Publicado originalmente em: 31/01/2012



AFRODESCENDENTES - LEVANTAI-VOS

Estava eu há pouco tempo, (para mim hoje, pouco tempo é 2 anos), numa padaria, quando ao tomar cafezinho ao lado de um rapaz preto, bonito, ele me olhou e disse orgulhosamente, com raiva no olhar:
“Eu sou afrodescendente”.

Olhei para ele, espantada, quase recolhendo minhas velhas cãs e com vontade de sair correndo para a Perucas Lady e comprar uma peruca de carapinha e então, respondi:

“eu sou eurodescendente e daí, que é que muda?”

Resposta, envergonhado: ”o que é eurodescendente?”

Moral – a palavra afrodescendente é a mais nazifascista que apareceu no nosso país nestes últimos anos. Racismo puro com ares de soberba e arrogância.

Agora com o novo livro “Besteirol” do MEC, para o ensino fundamental, fica bem claro que decididamente somos um país descaradamente racista. E os negros são maioria. Sim, porque preto rico virou branco – conheço só um – o Pelé. Branco pobre é preto.

Não li o livro e não gostei, pois senti que finalmente ficou declarado o Stalinismo em nosso país. Desta vez ou mais uma copia da Rússia através da escola pública. O Zé Dirceu deve saber isto. Os ricos continuarão a estudar em Escolas com nome de santo e escreverão e falarão como manda o figurino. Engraçado é que a ideia tenha vindo do PT. Se viesse da bancada Ruralista, eu acharia absolutamente coerente. Não há coerência no que petistas e exprobres do Planalto querem com liberar pornofonias, na “ultima flor do Lácio, finalmente inculta e feia”. Me lembra o Vinicius de Moraes quando fala na “patriazinha”. Eu choro quando releio isto, pois dói muito, você gostar de sua pátria e ela ser tão mal amada, coitadinha!!

Ao procurar seu primeiro emprego, o rico, terá a primazia e até onde sei, ate agora, tem que ser lulista: quando o estudante do “Besteirol” for fazer seu primeiro teste numa empresa, vai ser barrado na primeira entrevista. Sabem por quê? Porque Português é uma língua linda e muito difícil de ser apreendida, com seus transitivos e intransitivos. Eu que tenho um QI razoável levei 26 anos de minha vida para aprender português. Vai me chamar de velha débil mental!! Olha a lei Afonso Arinos! Sabem como descobri que tinha apreendido português isto é, pensar em Português? Foi numa sessão de psicanálise, eufórica contei ao meu ex-analista que “tinha sonhado em Português”. Ele não entendeu nada. Coisa de racista, era judeu. Mas deixa pra lá. Esta é outra história.

Gostaria muito de ler o livro “BESTEIROL”, quem sabe até recebê-lo, pois já o paguei. Sempre tem gente aqui em casa. Tem campainha na casa, o entregador do Correio é meu amigo, não vai ficar com o livro como faziam com o National Geografic que por conta disso deixei de assinar.

Isto de mexer em “escrita” como diz uma amiga minha, é grave.

Deixei de lecionar Psiquiatria em Vassouras, onde era catedrática, por causa de um erro de Português. O mais fatal que iria acontecer.

Numa prova um estudante receitou “al-dol” em vez de HALDOL. Desisti. Mandei-os ler a Turma da Monica e não levantei mais de madrugada para estar em Vassouras à 8hs e arriscar minha vida na serra. E eram futuros médicos, alunos de todos os estados do Brasil. Não passariam numa Escola de Medicina Publica. Entravam na faculdade porque eram brancos e ricos.

P.T saudações

Carmem

01/06/2011

Ps: escreveram o livro, caro, para nós todos, débeis mentais. Deixemos de lado o caso Palocci. Ora, senhores, não temos apenas dois neurônios. Agente finge que sim. Ninguém vai querer ir para a Sibéria.

Publicado originalmente em: 08/06/2011




UMA PSEUDOCRONICA PSICANALISTOIDE OU A CULPA É MINHA !!!!

 Que seria do Lorax se não houvesse um Flamengo no mundo?

 Pois bem, pensando nisto, tomei meu Lorax e me espichei na cama para ver quanto tempo resistiria ver meu time perder. Foi assim que já demoli o Flamengo. Levamos um Gol. Mudei de canal e para ficar claro que eu já estou capaz de me desculpar, (superego bom ganhando do superego mau) comprei um anel vermelho (rubi), numa liquidação do Medalhão Persa (canal 26 em longas prestações). Fui fazer um café para mim, pois minha profecia estava realizada. EU a poderosa Carmem posso fazer meu time perder.

 A galera da Rocinha, neste meio tempo, começou a berrar. Pensei “empatamos”. Volto ao quarto e vejo que levamos outro. Penso, não posso ter esse poder, eu nem estava olhando o jogo. Aí vejo na cama, tranquila e profundamente dormindo como que hipnotizado o gato de minha filha que devia estar sofrendo uniformizada no maracanã. Eu estava dormindo com o inimigo e não tinha me dado conta. O gato é branco, tem uma orelha e algumas pintas pretas e um rabo preto. Ufa!!! O dito cujo, o inimigo, que dormia ao meu lado aparece quando eu chamo de “menino”. O gol foi por causa dele. Que alívio. Eu nem estava lá. A culpa não é minha, senão para ter de me provar isso vou ter de comprar mais joias, pois meu superego bom acha que devo me agradar e me presentear em vez de me punir, como o fazia antes de eles fazerem as pazes. Que bom. Agora estou livre, nem quero mais saber quem ganhou ou perdeu.

 Como viram aprendi a ser um pouco hipócrita. Começo a ver a qualidade das camisas dos jogadores que é boa, pois resistem ao adversário. Só os tornozelos é que não. Tenho saudade da arte de Garrincha. Comprarei uma camisa rubro negra para o “menino” que terá de usá-la. Não quero ter de conviver com o nono torcedor do Botafogo. Estou escrevendo para não sair batendo nele e não ligar o telefone para xingar os oito outros torcedores da estrela. Bem, não tive infarto do miocárdio. Viva o Lorax que devia estar me pagando pela propaganda. Vou para o canal 33 ver como os Vulcões explodem. Talvez aprenda algo. Além disso, tem esse bendito Blog que me ajuda a botar minha raiva para fora. Deprimidos do mundo UNI-VOS !!! Façam Blogs. Só volto ao canal 19 daqui a meia hora. Não ouço nada da Rocinha. Péssimo alvitre. Barulho na Rocinha. Corro. Pênalti contra o Botafogo. Cruzo as pernas e os dedos. Afinal, já matei o Mar Morto, sou perigosa. Vou assistir o chute para que depois eu possa dizer que o nome do que estou escrevendo é (Crônica de Mau Gosto e de Mau Olhado). GGGGGOOOOOOLLLLLLL. Dois a um. Vou trocar o canal, não posso mais atrapalhar meu time. Acho que vou me esconder no banheiro e sair daqui a algum tempo. Que sofrimento!!! Vou ver de repensar minha vida - não se pode ser Colorada, Corinthiana, e Flamenguista. Ninguém aguenta. A torcida grita “Mengo, Mengo”. Vou trocar o canal. E agora, tiro ou não tiro o gato da cama?? Que fazer?? O que você faria? Me ajudem. Socorro!!!

 O Blog é para isso. Quero dividir minhas dores com outros sofridos que serão os únicos a me entender. O gato não se mexe. Acho que vou jogar uns panos vermelhos e pretos em cima dele. Saia azar.... GENTE. Tiro na Rocinha. GGGOOOLLLLLLLLL. Viva o Souza. E agora, o que faço, fico olhando o jogo do Santos onde também tinha um pênalti??? O gato cretino continua dormindo. Briga no campo. Diguinho expulso. O gato sai com a chegada de uma amiga. O Mengão melhorou. E agora, assisto o resto ou saio? Não vou saber de quem é a culpa, se minha ou do gato. Melhor ficar. Que camisas boas!! Poxa, iguais a uma que tenho há 25 anos branca assinada pelo Zico que eventualmente se ficar muito pobre vou leiloa-la. Inscrições aqui. Renato, que merda. Vou sair. Vou ver o resultado do jogo na cara da minha filha quando ela voltar. Obrigada senhores.

Publicado originalmente em: 30/04/2007



OBESIDADE INFANTIL _______ MÍDIA

Dormi com a TV ligada e acordei por volta das 03:30 hs com um programa na TV Globo News “Entre as aspas”, e ouvi coisas nas quais, como sempre, o óbvio é deixado de lado.

Havia um jornalista, uma médica pediatra e o entrevistador. Escutei tudo e como sempre os culpados pela obesidade ou qualquer outra pereba que as crianças tenham, são os pais.

Irrito-me profundamente. Você já entrou num supermercado ou foi numa feira? Já viu uma criança pedir cenoura, cebola, aquelas coisas verdes que as mães querem empurrar para as crianças e que até fizeram uma propaganda belíssima com um guri pedindo insistentemente espinafre?

Eu ria comigo imaginando a senhora mãe do Delfim Neto, pobrezinha, na feira escolhendo os verdes para ele comer e ele carregando a cestinha. Me comovi, porque acho que a gordura dele é genética, pode fazer a dieta que quiser, só emagrece se tiver doenças.

Saio de minha fantasia da madrugada, achei estranho, profundamente estranho tudo. O jornalista não mencionou a quantidade (um terço parece) de brasileiros que vivem com salário abaixo da linha da miséria. E alguns, (apadrinhados), ganham uma tal de cesta básica, composta de farinha, macarrão, óleo de soja, arroz, feijão, fubá, açúcar e sal. Querido jornalista, tu sabes quanto custa um quilo de pera, de maça, de pêssego, melão e todas as frutas? Sabes o preço das mesmas que não estão na cesta básica a qual favorece a gordura? Tu sabes o salário dos brasileiros ou só o teu? Tu sabes qual é a culpa dos pais na alimentação destes filhos? FALTA DE TRABALHO E SAIR DA LINHA DA MISÉRIA. Trabalha sério garoto, diz a verdade. Não a meia verdade, que os pais têm culpa e que não ensinam as crianças a comer. Vê a cara amarga do Delfim Neto. A mãe dele deve ser uma boa senhora, deve tê-lo ensinado a não comer porcarias.  Acho até que ele não come um chocolate, há muito tempo pois tem sempre aquele rosto sorridente-amargo que vemos, e está OBESO.

Quanto à pediatra e as curvas da OMS, fiquei encantada. Minha nobre colega, pensou que estava falando para uma plateia de médicos estúpidos. O cara da cesta básica não sabe o que é OMS, (Organização Mundial da Saúde), e nem curvas. Curvas soam a Marilyn Monroe. O “cesta básica” precisa saber que curva da OMS é um gráfico que mostra o crescimento da obesidade, não por culpa de sorvetes premiados ou Mac Donald’s da vida e nem dos pais. O “cesta básica” , a classe média, a classe alta e a rica, onde estão todos com o mesmo problema, precisa saber do porque as crianças e os adultos gostarem tanto de carbohidratos (coisas engordativas). A colega já ouviu falar de ANSIEDADE, que faz o gordo comer qualquer porcaria para se acalmar? A matéria que assisti me ajudou a acrescentar algumas coisas num livro que estou escrevendo sobre depressão infantil – ou a criança fica com anorexia ou come como uma louca.
Pergunta à Globo – porque vocês não colocam várias CORA RONAI para estes programas que não podem e nem merecem esta superficialidade? Afinal quem vos assiste, em geral, não é imbecil. Aliás os programas matinais da Globo são todos engordativos. Já pensaram nisto? Ou a criança fica imbecilizada, imóvel com quadrinhos ou a empregada de rico, e de classe média fica pegando novas receitas para comidas engordativas. Não há programa que fale de novo, como antigamente, que as crianças precisam brincar, ter amigos, se mexer, perder peso? Vocês já viram quanto tempo o Bill Gates deixa seu filho no computador? Deviam dizer. Sobrariam muitas vidas. Eu sei que teria menos pacientes, mas meu desejo é que as pessoas sejam felizes e não precisem me procurar por ANSIEDADE ou por GORDURA ou qualquer outra coisa parecida. Não gosto de ver sofrimento, motivo pelo qual sou médica. Mas me interesso pelo que vai pelo mundo como pelas coisas mais importantes do meio jornalístico que não aprofundam nada. CORA RONAI pra nós na TV e não no jornal, que é lido por uma elite que está pouco se lixando para o “cesta básica” e que vai malhar em academias.

CORA RONAI NA TV PARA NÓS!!!!!!

Ps – porque sempre que se fala em crianças não se põe responsabilidade nenhuma na personalidade delas, afinal são pessoas e escolhem . Um bebê que não quer mamar é por culpa da mãe? Por favor!!!! Ele nasce com suas próprias predisposições genéticas. Mãe não é ser superior capaz de mutilar as emoções mais profundamente do seu filho.

Publicado originalmente em: 18/03/2007






1º PARTE: BRASIL, PAÍS SEM SUPEREGO

Assisti um debate na TV Globo no qual se enfatizou que o problema da violência está ligado à falta de estudo.
Fiquei contente porque até pouco tempo a violência era ligada à doença mental, motivo pelo qual escrevi num dos meus livros um capítulo. Voltando ao assunto escolaridade, queria dar meu depoimento pessoal. Fui criada numa zona italiana no Rio Grande do Sul (Carlos Barbosa), onde a grande maioria das pessoas eram analfabetas como a senhora mãe do Lula. Não conheci bandido. E havia muitos loucos. Meus colegas de grupo escolar só fizeram o curso primário e nenhum se tornou criminoso. Eu fui em frente e acabei por estudar Medicina na mesma época e mesma Universidade em que Marco Aurélio Garcia fazia Direito e eu era sua secretária na FEURGS. Depois por um acaso da vida acabei sendo titular da cadeira de Psiquiatria da Faculdade de Medicina de Vassouras, onde o grande problema que encontrei era o semianalfabetismo de muitos estudantes. Os alunos aprendiam a Psiquiatria, mas escreviam tudo errado.
Minha filha teve ensino primário e secundário em meio à classe média, um dos colegas dela, rico, tornou-se traficante de drogas e foi morto antes dos 20 anos. No próprio debate de hoje, o apresentador cometeu vários erros de Português , o que não é incomum na TV Globo. Por sinal me incomoda muito e pediria a Regina Casé que refizesse o comercial do canal 58, onde em vez de dizer "as trinta milhões de pessoas..." dissesse “os trinta milhões de pessoas”. A propósito ponho-me à disposição da Rede Globo para o ensino de Português, FREE.

2º PARTE: TRATA-SE DO PROBLEMA DO SUPEREGO

Nos anos da ditadura, cometeram-se muitos crimes contra as pessoas e contra instituições. Instituiu-se a CENSURA, um superego extremamente exigente com as pessoas e mau, e da mesma forma leniente com os desmandos do Planalto. Criou-se A IMPUNIDADE. E desde aí, esta vem grassando tenazmente. Nosso problema social, O CRIME, vem do Planalto e dele continuará vindo se não pintarmos a cara como fizemos com o aprendiz Fernando Collor de Mello. Ele foi punido pelo Jardim de Dinda. O superego funcionou bem, com ele. Depois disso o superego se soltou. As pessoas não nascem naturalmente boas ou más, logo, atrás do social existe uma genética pessoal. Eu por exemplo, não mataria, como muitos miseráveis, não por virtude, mas por ter uma genética não criminosa e um superego normal. Um país que como o nosso, beneficia e premia os criminosos comuns e do Planalto com impunidade, não pode dizer que o problema básico da criminalidade e da violência é falta de estudo. Todos os ladrões do Planalto que conhecemos através de CPIS, sabem muito bem do que falo. Eles, com sua impunidade, são exemplo para os que como eles estão marcados geneticamente para crime.
São doutores e aboliram o SUPEREGO


Publicado originalmente em: 02/03/2007



PEDIDO DE DESCULPAS

Eu que persigo o Lula desde 1972, por algo que soube de sua vida particular através de minha convivência com muitos sindicalistas, hoje vou me redimir de todo o mal que fiz em falar mal dele. Devia ter votado nele.  Devia ter acreditado que sempre lutou pela Pátria como meu irmão que é um babaca que pertenceu a MR8 e custa 30 mil reais ainda não pagos enquanto Zé custa 500 mil e já recebeu .

Não devia ter imaginado que ele cortou o dedo de propósito com anestesia e não devia ter acreditado que não sabia de nada. Hoje lendo o jornal me dei conta que ele foi tratado por um certo alemão Dr. Alhzeimer e que ele não lembra de nada COITADO !!!

Abraços a Diretoria

E os Cubanos heim??? Será que vão para a Sibéria ???


Publicado originalmente em: ??/??/??
















2 comentários:

Rosane ChonChol disse...

Carmem, amada amiga, sou contra as medicações dadas aos psicoticos; tive uma grande amiga que apos ser torturada pelo Dops, com ratos na vagina, surtou e depois disso rodou muitas clinicas, provavelmente a sua tambem. Ela morreu devido a insuficiencia renal provocada pelo excesso de remedios. Instituições sim, mas tratamentos humanos e remedios que não matem.Ela passou anos fazendo hemodialise antes de partir. Era uma linda pessoa.
A onipotencia dos psiquiatras, a ganancia por dinheiro e a insensibilidade com os pacientes é revoltante. Desculpe a minha sinceridade, e tenho certeza de que vc não esta neste rol. Beijos de sua fã de carteirinha.

Carmem Dametto disse...

ROSANE querida, tu estás vendo na TV Globo o que estão fazendo com um assassino louco, é o tempo inteiro o chamam de louco. se fosse um assassino de diabético , iriam chama-lo só de assassino. eestou revoltada. a maneira como o estao tratando, por ser louco, é na verdade como se todos soubessem que ele é assassino. Só que só falam na loucura dele. a loucura minha amiga, cada dia, cada dia, eu estou tendo "visoes" diferentes e acredito que daqui há uns seculos a tal da esquizofrenia vai ser uma coisa finalmente entendida e nao mais levada como doença no mal sentido. estou fascinada comigo mesma, com os meus pensamentos a respeito. gostaria de estar aqui há 200 anos para saber como esta palavra como esta palavra vai ser eliminada , e o tal esquizofrenico vai ser ou um chefe de Estado ou um vidente ou sei la o que. agente precisa se encontrar. vamos marcar para um domingo as 16 horas no Shopping da Gavea? beijaoooo