domingo, 8 de abril de 2007

Vanor, cara anciã,

Imagino que você deva ter muitos filhinhos e que deve ter sido xingada por "N" pediatras, algumas psicólogas e alguns psicanalistas que devem ter te dito que tu não sabes tratar de crianças. Imagino, que aos 120 anos tu deves ter embolachado tua mãe e por sentimento de culpa foste procurar um psicanalista que te disse que mãe é assim mesmo , tem que levar porrada, porque elas nunca acertam.!!!!!!

PS: gostaria de saber se tu vais gostar do texto abaixo. Beijo para tua mãe.

3 comentários:

mariaelisa disse...

Querida Dra Carmem.

Descobri hoje seu blog.
Que bom, que idéia maravilhosa!
Eu saí do Rio , com problemas - novidade!) em 2005) e estou aqui em Belém do Pará.
Como gostaria de falar com você.
Tenho este blog, não é aquele em que fiz uma homenagem a você, mas está continuando o anterior:
novo blog da Meg.

Queria tanto falar com vc por telefone.
Viba! que bo que aderiu à Internet.
Há de lembrar que a incentivei bastante, não foi.
Espero que ainda goste um pouquinho de mim.
Muitos beijos
Meg
P.S Que hora é boa para ligar para você?
Devo-lhe tanto!

carmem dametto disse...

Minha querida Meg, nao consegui entender o telefone de Belem que deixaste em minha casa. por favor deixe escrito em meu email: carmemdametto@gobo.com.
Sofri muito por nao saber o paradeiro da tua pessoa maravilhosa.Eu tb te devo muito!!! o Dia melhor pra melhor para me ligar é DOMINGO por volta das 14 hs. um beijo Carmem

Vanessa disse...

Viva, Meg! Fiquei feliz de saber que você já está de volta. Vou te linkar no meu blog -- por favor, me conceda a licença de apelidar tua página com um nome bem-humorado, que eu perco a amiga, mas não perco a chance de fazer sorrir.

Carmem, sou eu VanOr, a velha anciã que não sabe tratar de crianças porque ainda sou uma (e tome joelhaço!). Vou ter de ler o post abaixo um milhão de vezes pra entender. Mas depois eu volto pra comentar. Senão, eu tomo esse joelhaço pessoalmente. (posso levar minha mãe, pra ela tomar uns também? Acho que ela precisa mais do que eu, ou talvez seja só mais um sintominha da minha generosidade - hahahaha - patológica.)

Ó, dei uma parada no teu livro: hipocondríaco não pode ler sobre doença, sobretudo doença mental, senão ele desenvolve todas. Parei antes que eu me tornasse esquizofrênica, mas, como você bem diz no livro, com um ego tão fragmentado assim, eu preciso melhorar muuuuuuuuito pra me tornar esquizo, ouvir vozes e cortar a própria orelha. De VanGogh esta VanOr só tem a vã filosofia. E o cheque especial de juros pornográficos do Banco Real.